Representação social de escola sustentável em docentes da educação básica

Conteúdo do artigo principal

José Flávio Rodrigues Siqueira
https://orcid.org/0000-0002-8309-7578
Suzete Rosana de Castro Wiziack
https://orcid.org/0000-0003-2269-603X
Angela Maria Zanon
https://orcid.org/0000-0003-3346-0604

Resumo

Apresentamos uma investigação qualitativa sobre as representações que professores da educação básica possuem sobre a escola como uma instituição sustentável. A coleta dos dados ocorreu por meio de um questionário aplicado junto a um grupo de 32 professores.  No tratamento desses dados foi utilizado o software IRaMuTeQ indicado para análise de conteúdo textual. Ancoramos a reflexão em teóricos da Educação Ambiental e na Teoria das Representações Sociais. Os resultados apontam que a escola sustentável é uma representação social presente entre os professores e está fortemente associada às ecotécnicas, que são propostas de alteração dos espaços físicos escolares visando uma melhor relação com o ambiente, mas também remete a uma prática educativa colaborativa, multidisciplinar e dialógica que possa reconfigurar o currículo, e à integração da escola à comunidade, por meio de uma gestão participativa e democrática.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SIQUEIRA, J. F. R.; WIZIACK, S. R. de C. .; ZANON, A. M. Representação social de escola sustentável em docentes da educação básica. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–21, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.17817.021. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/17817. Acesso em: 26 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

José Flávio Rodrigues Siqueira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Doutorando em Ensino de Ciências pela UFMS/CG; Mestre em Educação pela UEMS/CG; Especialista em Gestão Escolar: Orientação e Supervisão pela São Luis (2018); Especialista em Mídias na Educação pela UFMS (2012); Especialista em Educação Ambiental pelo SENAC/MS (2008); Graduado em Ciências Biológicas pela UEMS (2005); Professor efetivo na Rede Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul desde 2013; Professor efetivo da rede Municipal de Educação de Campo Grande desde 2013; Orientador de Estudos da Rede Estadual de Ensino nos municípios de Jardim e Guia Lopes da Laguna (2015); Coordenador Regional do PNAIC (2016); Integrante do Grupo de Estudo e Pesquisa em Formação de Professores e Ensino de Ciências; Professor no curso de Pedagogia da FCG/Facsul; Atualmente cedido na função de Coordenador de Correção de Fluxo - CCORF/SUPED/SED/MS.

Suzete Rosana de Castro Wiziack, Universidade Federal Mato Grosso do Sul - UFMS

Possui graduação em Ciências Biológicas - Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso com Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Doutorado em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco. É professora dos cursos de Licenciatura em Biologia do Instituto de Biociências da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Atua como professora/pesquisadora no Curso de Mestrado em Ensino de Ciências, nas linhas de pesquisa em Ensino de Ciências e Educação Ambiental. Atua nas áreas e temas: Ensino de Biologia, Educação Ambiental, Currículo e Formação de Professores. Coordena os cursos de Mestrado e Doutorado em Ensino de Ciências da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, sendo gestora do Convênio com a Universidade de Matanzas - Cuba. Coordena o sub projeto de biologia (INBIO) da Residência Pedagógica da UFMS.

Angela Maria Zanon, Universidade Federal Mato Grosso do Sul - UFMS

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1977), mestrado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1982) e doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1990). Atualmente é professora Titular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Docente e Orientadora no Programa de pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Ensino de Ciências - INFI/UFMS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Ambiental e Ensino de Ciências e Biologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, ensino de ciências, formação de professores. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da UFMS pelo período de 2016 a 2018. Professora aposentada da UFMS, atuando como Professora/Pesquisadora Sênior no curso de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (mestrado e doutorado) - INFI/UFMS.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista Em Aberto, INEP, ano 14, n. 61, páginas 60-78, jan/mar, 1994.

BERTONI, L. M.; GALINKIN, A. L. Teoria e métodos em representações sociais. In: MORORÓ, L. P.; COUTO, M. E. S.; ASSIS, R. A. M. de (orgs.). Notas teórico-metodológicas de pesquisas em educação: concepções e trajetórias. Ilhéus, BA: EDITUS, 2017. Páginas 101-122.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente. Brasília: MEC/SEF, 1998a.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998b.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação na diversidade: o que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental. TRAJBER, Rachel; MENDONÇA, Patrícia Ramos (orgs.). Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2006.

BRASIL. Presidência da República. Lei Federal n. 9.795, de 27 de abril de 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 15 de junho de 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação. Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis: educando-nos para pensar e agir em tempos de mudanças socioambientais globais. Brasília: MEC/SECADI, 2012b.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Nacional Escolas Sustentáveis. Versão Preliminar 2014. Disponível em < https://drive.google.com/file/d/0B0W7JKEkeDaSYzFHS3JNZzhFZEU/> Acesso em 17 jan 2020.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Carta da Terra. Disponível em < https://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21/carta-da-terra> Acesso em 13 jul 2020.

CASTRO, R. S. de; SPAZZIANI, M. de L.; SANTOS, E. P. dos. Universidade, meio ambiente e parâmetros curriculares nacionais. In.: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. de (orgs.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012. Páginas 157-178.

GUIMARÃES, M. Educação ambiental: participação para além dos muros da escola. In.: MELLO, S. S. de; TRAJBER, R. Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: MEC/CGEA, MMA/DEA, UNESCO, 2007. Páginas 85-93.

LEFF, E. Discursos Sustentáveis. Tradução Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2010.

LEFF, E. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução Lúcia Mathilde Endlich Orth. 11 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

LEGAN, Lucia. Criando habitats na escola sustentável: livro do educador. Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Pirenópolis, GO: Ecocentro IPEC, 2009.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F. de; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10. ed. ver. e ampl. São Paulo: Cortez, 2012.

LIMA, G. F. da C. Educação, emancipação e sustentabilidade: em defesa de uma pedagogia libertadora para a educação ambiental. In.: LAYRARGUES, P. P. (coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: MMA/DEA, 2004. Páginas 85-112.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Trajetória e Fundamentos da Educação Ambiental. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2012a.

LOUREIRO, C. F. B. Teoria social e questão ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em educação ambiental. In.: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. de (orgs.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012b. Páginas 17-54.

LOUREIRO, C. F. B. Educação Ambiental Transformadora. In.: LAYRARGUES, P. P. (coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: MMA/DEA, 2004. Páginas 65-84.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental crítica: contribuições e desafios. In.: MELLO, Soraia Silva de; TRAJBER, Rachel. Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: MEC/CGEA, MMA/DEA, UNESCO, 2007. Páginas 65-72.

MARCHAND, P.; RATINAUD, P. L’analyse de similitude appliqueé aux corpus textuels: les primaries socialistes pour l’election présidentielle française (septembre-octobre 2011). In: Actes des lleme Journé es internationals d’Analyse statistique des Données Textuelles. JADT: Liége, 2012. Disponível em < http://lexicometrica.univ-paris3.fr/jadt/jadt2012/Communications/Marchand,%20Pascal%20et%20al.%20-%20L%27analyse%20de%20similitude%20appliquee%20aux%20corpus%20textuels.pdf> Acesso em: 03 ago 2020.

MOREIRA, T. Escola sustentável: currículo, gestão e edificação. In: BRASIL. Espaços Educadores Sustentáveis. Ano XXI. Boletim 07. Salto para o futuro: TV Escola. Brasília, 2011. Páginas 17-21.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 5ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MOSCOVICI, S. Loucuras e representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. 3ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

PEREIRA, D. M. Processo Formativo em Educação Ambiental: escolas sustentáveis e Com-Vida – Tecnologias Ambientais. Universidade Federal de Ouro Preto, 2010.

PRADO, M. E. B. B. Pedagogia de projetos: fundamentos e implicações. In: ALMEIDA, M. E. B. de; MORAN, J. M. (Org.) Integração das tecnologias na Educação. Brasília: Secretaria de Educação a Distância, 2005. Páginas 12-17.

RATINAUD, P. IRAMUTEQ: Interface de R por lês analyses multidimensionnelles de textes et de questionnaires [Computer Sofwtare]. 2009. Disponível em: < http://iramuteq.org/> Acesso em 06 dez 2019.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SÊGA, R. A. O conceito de representação social nas obras de Denise Jodelet e Serge Moscovici. Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, v. 08, n. 13, páginas 128-133, julho, 2000.

SANTOS, R. C. Implementação da Educação Ambiental em Escolas do Ensino Fundamental de Aracaju. 2015. 188f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.

SOUZA, M. A. R. de. et.al. O uso do software IRAMUTEQ na análise de dados em pesquisas qualitativas. Revista da Escola de Enfermagem da USP. São Paulo, v. 52, páginas 1-7, 2018.

VIEIRA, S. Como elaborar questionários. São Paulo: Editora Atlas, 2009.