O desenho infantil potencializado pelos estudos da cultura visual e pela educação estética

Conteúdo do artigo principal

Eva Bernadete Budniak Tozato
https://orcid.org/0000-0002-5538-2582
Rossano Silva
https://orcid.org/0000-0003-1591-860X

Resumo

O presente artigo consiste em pesquisa qualitativa a partir de intervenção pedagógica no decorrer das aulas de artes visuais e apresenta reflexões sobre o desenho enquanto linguagem expressiva, potencializado por ações mediadas pela professora, enriquecido pela ampliação visual a partir da educação estética. A ação docente partiu de uma inquietação a respeito do uso de estereótipos e animismo nos desenhos de crianças das turmas do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental. A análise foi realizada a partir do conceito de “desenhos recebidos” de Vianna (2012), com a intervenção pedagógica fundamentada no conceito de “desenho cultivado” de Iavelberg (2013, 2017), nos “Estudos da Cultura Visual”, propostos por Hernández (2000, 2007) e por meio da “educação estética”, fundamentada em Vigotski (2003). A experiência demonstrou a presença de imagens recebidas e possibilidades de sua transformação e evidenciou a necessidade de aprofundamento nas questões levantadas que se encontram em desenvolvimento em uma pesquisa de mestrado.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
TOZATO, E. B. B. .; SILVA, R. O desenho infantil potencializado pelos estudos da cultura visual e pela educação estética. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–25, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.17581.018. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/17581. Acesso em: 26 jun. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Eva Bernadete Budniak Tozato, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Tecnologias e Linguagem (GEPETeL/UFPR). Especialista em Mídias Integradas na Educação (UFPR), em Educação Especial Inclusiva (FAPAN) e Saúde para Professores do Ensino Fundamental e Médio (UFPR). Graduada em Educação Artística pela Faculdade de Artes do Paraná. Professora de Arte e da Educação Infantil, na Rede Municipal de Ensino Curitiba.

Rossano Silva, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Doutor em Educação e Mestre em Educação na Linha de História e Historiografia da Educação pela UFPR. Especialista em Ensino da Arte pela Faculdade de Artes do Paraná e graduado em Licenciatura em Desenho pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2001). Professor Adjunto da UFPR no Departamento de Expressão Gráfica, no Programa de Pós-graduação em Educação: Teoria e Prático de Ensino e no Programa de Pós-graduação em Educação. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: expressão gráfica, linguagem visual, ensino de arte, história da educação, formação de professores e artes visuais.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Educação. Currículo do ensino fundamental. Curitiba, 2016a.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Educação. Currículo do ensino fundamental: diálogos com a BNCC da secretaria municipal de educação de Curitiba, 1º ao 9º ano. v. IV: linguagens, 2020a. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2021.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Educação. Plano curricular de arte. Curitiba, 2020b. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2021.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Educação. Plano curricular de arte do 1º ao 5º ano. Curitiba, 2016b.

DAMIANI, M. F.; ROCHEFORT, R. S.; CASTRO, R. F.; DARIZ, M. R.; PINHEIRO, S. S. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, Faculdade de Educação UFPel, RS, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2021.

DERDYK, E. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo Infantil. 5. ed. Porto Alegre: Zouk, 2015.

FERRAZ, M. H. C. de T.; FUSARI, M. F. de R. Arte e educação escolar. São Paulo: Cortez, 2010.

FLAUBERT, G. Dicionário das ideias feitas. São Paulo: Nova Alexandria, 1995.

HERNÁNDEZ, F. Catadores da cultura visual: proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação, 2007.

HERNÁNDEZ, F. Cultura visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Tradução de: RODRIGUES, Jussara Haubert. Porto Alegre: Artmed, 2000.

IAVELBERG, R. Desenho na educação infantil. São Paulo: Melhoramentos, 2013.

IAVELBERG, R. O que muda na história: o desenho da criança ou a cultura didática. In: ESPINOSA, A. M. 30 olhares para o futuro. São Paulo: Centro de Formação da Escola da Vila, 2010.

IAVELBERG, R.; GRINSPUM, D. Museu, escola: espaços de aprendizagem em artes visuais. In: CONGRESSO DA FEDERAÇÃO DE ARTE/EDUCADORES DO BRASIL, 24., 2014. Anais. Ponta Grossa: ConFaeb, 2014.

LOWENFELD, V.; BRITTAIN, L. W. Desenvolvimento da capacidade criadora. Tradução de: CABRAL, Álvaro. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

LUQUET, G. O desenho infantil. Tradução de: AZEVEDO, Maria Teresa Gonçalves de. Porto: Minho, 1969.

MARTINS, R. Imagem, identidade e escola. In: Revista Salto para o Futuro, Cultura Visual e Escola, Rio de Janeiro, ano 21, boletim 9, p. 15-21, ago. 2011.

MIMERÓGRAFO. In: Michaelis. São Paulo: Melhoramentos. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2021.

VIANNA, M. L. R. Desenhando com todos os lados do cérebro: possibilidades de transformação das imagens escolares. Curitiba: InterSaberes, 2012.

VIGOTSKI, L. S. (1930) Imaginação e criação na infância. Comentários de Ana Luiza Smolka. Tradução de: PRESTES, Zoia Ribeiro. São Paulo: Ática, 2009.

VIGOTSKI, L. S. (1921-1924) Psicologia pedagógica. Tradução de: SCHILLING, Claudia. Porto Alegre: Artmed, 2003.