Metodologias ativas na formação do engenheiro do século XXI: desafios e reflexões

Conteúdo do artigo principal

Felipe Korbus Sutili
https://orcid.org/0000-0002-6080-927X
Iara Alessandra Donati Raineri

Resumo

Em uma sociedade em constante transformação e avanços tecnológicos rápidos, a principal característica de um profissional competitivo é a capacidade de criar e aplicar ciência e tecnologia na geração de bens e serviços. Para isso, são necessários bons questionamentos, dúvidas que o destacarão como profissional e farão diferença à comunidade como um todo. Deste modo considerando a necessidade de progresso e as mudanças contemporâneas de um mundo cada vez mais globalizado e hiperconectado, objetiva-se analisar o atual cenário de aprendizagem e as formas de ensino usadas como subsídio ao desenvolvimento do estudante de engenharia. Para tanto, parte-se da análise de alguns fatores históricos e filosóficos que levaram o discente a um enrijecimento do seu poder de questionamento, para proceder-se à análise de metodologias ativas de ensino, como Aprendizado Baseado em Problemas (ABP), Metodologia de Problematização (MP) e Aprendizagem Baseada em Equipes (ABE). A utilização dessas ferramentas permite o enquadramento do aluno como gestor do próprio aprendizado e leva a concluir pela necessidade da busca de métodos alternativos para o rompimento da passividade do corpo discente.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SUTILI, F. K.; RAINERI, I. A. D. Metodologias ativas na formação do engenheiro do século XXI: desafios e reflexões. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–23, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.16436.005. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16436. Acesso em: 26 jun. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Felipe Korbus Sutili, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2008) e doutorado (2013) pelo Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos (Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ), realizou um pós-doutoramento no Laboratório de Biocatálise e Síntese Orgânica (BOSS Group) do Instituto de Química da UFRJ, em Colaboração com a Petrobrás (2014). Coordenou projeto em Biocatálise no Instituto de Tecnologia e Pesquisa - ITP em Sergipe no ano de 2015. Atualmente é Professor Doutor da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP- Campus Botucatu. Tem experiência na área de Bioprocessos atuando na área biotecnológica na aplicação e imobilização de lipases na síntese de aditivos de importância industrial com os seguintes temas: Engenharia Bioquímica, Processos Bioquímicos, Planejamento de Experimentos e Otimização de Processos, Nanobiotecnologia, Química Verde, fluxo contínuo, Biocatálise e Utilização de Resíduos Agroindustriais.

Iara Alessandra Donati Raineri, Faculdade Corporativa CESPI- FACESPI

Possui graduação em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências de Letras de Jacarezinho (2007) atual UENP. Graduação em Pedagogia pela Universidade Nove de Julho (2013) e graduação em Letras - Libras pelo INSTITUTO EFICAZ (2015). Especialização em Língua de Sinais (2010) e em Deficiência Intelectual (2015). Atualmente é professora da União de ensino superior de Piraju/ FACULDADE CORPORATIVA CESPI- FACESPI. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Brasileira de Sinais, com a qual vem trabalhando desde o ano de 2012.