REFLEXOS DA POESIA DE HORÁCIO NO LIVRO III DA ENEIDA, DE VIRGÍLIO

Resumo

O objetivo deste estudo é realizar uma análise linguístico-literária e comparativa entre o livro III da Eneida, de Virgílio, e a sátira 2.8, de Horácio, buscando identificar os recursos utilizados na epopeia que retomam os elementos presentes na referida sátira. Pretendemos entender como o cenário catastrófico do banquete de Nasidieno, anfitrião hostil, de comportamentos viciosos, que figura na sátira 2.8, é reapresentado no livro III da Eneida, em que Eneias é continuamente interrompido por Celeno, impedindo, assim, as tentativas do herói de realizar um jantar sagrado no local para fundar a Nova Troia. Para tanto, trabalharemos com nossa tradução instrumental dos trechos que se fizerem pertinentes para a análise, e nos serviremos do aporte teórico de Carratore (1962), D’Onofrio (1968), Oliveira (2014), e outros, que nos auxiliarão a perceber características próprias de cada um dos textos que analisaremos, além da intertextualidade que os vincula.
Publicado
2020-09-02
Seção
Artigos Tema Livre