PROFANAÇÃO RELIGIOSA, INTERVENÇÃO COLONIAL E CONSCIÊNCIA AFRICANA EM DEATH AND THE KING’S HORSEMAN, DE WOLE SOYINKA

Resumo

Neste estudo crítico de uma peça teatral do autor nigeriano Wole Soyinka, analisamos os significados culturais dos conflitos entre os colonizadores britânicos e os nativos iorubás, incluindo os atos de profanação religiosa e os diferentes modos de perceber o mundo. Ao reconstruir ficcionalmente a Nigéria dos anos 1940, Soyinka revela táticas de resistência colonial como a mímica e o revide discursivo, desestabilizando a narrativa imperialista e dando ênfase às tradições e à consciência iorubá. Além disso, o autor aponta para o hibridismo cultural como uma realidade inevitável e até benéfica para as sociedades pós-coloniais.ós-coloniais.

Biografia do Autor

Silvio Ruiz Paradiso, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
Professor de Literaturas Africanas e Portuguesas na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Realizou Pós-Doutorado em Letras/Literatura na Universidade de São Paulo (USP). Doutor em Letras, com ênfase em Estudos Literários, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Membro do grupo de pesquisa sobre afro-descendência na literatura da UFMG/UEL, literaturas de minorias etnicas CESUMAR; membro do Laboratório de Estudos da Religião e religiosidade e do NEAA/UEL (Núcleo de Estudos Afro-asiáticos).
Emanoel Lima Silva Soares, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Graduando em Letras/Inglês pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Membro do grupo de pesquisa LITERÁFRIKA - Literaturas Africanas, História e Pós-Colonialismo.  Bolsista de Iniciação Científica PIBIC/FAPESB, desenvolvendo pesquisa acerca das literaturas pós-coloniais africanas.
Publicado
2020-10-15
Seção
Dossiê temático