"A FÁBRICA DO FEMININO” E A PÓS-MODERNIDADE EM CONSUMO

  • Larissa de Cássia Antunes Ribeiro UFPR

Resumo

 Estudar a ascensão da voz feminina nos poemas contemporâneos requer o olhar agudo a respeito de imagens produzidas dentro do mercado de consumo. Entender-se enquanto sujeito feminino significa compreender as representações de si mesma, pois afinal como se identificar enquanto mulher? Ao mesmo tempo, trabalhar a linguagem do poema no mundo pós-moderno implica interrogar as simbologias que estão à venda, os impactos do consumo e o que isso tudo representa para o poeta. Portanto, a poesia contemporânea na voz feminina descreve a dupla tarefa: olhar para o eu, a linguagem e as suas potencialidades. A partir desses questionamentos, apresenta-se a obra “A fábrica do feminino” de Glenadel (2008). Desse modo, este artigo tem o objetivo de estudar os poemas “O feminino é feito numa fábrica” e “Espelho”, através da concepção pós-moderna que aborda a lógica do mercado de consumo, discutida juntamente com os apontamentos de Jameson (1985).
Publicado
2020-04-15