MEMÓRIA E VIVÊNCIA DE MULHERES NEGRAS EM CAROLINA MARIA DE JESUS E CONCEIÇÃO EVARISTO

  • Flavio Camargo Universidade Federal de Goiás
  • Victória Lopes Pacheco Universidade Federal de Goiás/Mestranda em Letras e Linguística, com bolsa Capes

Resumo

O presente estudo tem como objetivo estabelecer o diálogo entre o livro Quarto de despejo: Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus, e os contos “Olhos d’água” e “Maria”, inseridos em Olhos d’água, de Conceição Evaristo. Assim sendo, por meio de uma análise comparativa entre as narrativas de Evaristo e o diário de Carolina, tenciona-se encontrar os pontos de contato entre as obras em questão, a fim de identificar a representação de uma realidade potencialmente coletiva, haja vista que todas as narradoras dos textos estudados são mulheres negras, mães, em condição de pobreza – tanto Carolina Maria de Jesus, que conta parte de sua própria história, quanto as personagens de Evaristo. Para que isso se realize, faremos uso, principalmente, dos pressupostos teórico-críticos de Regina Dalcastagnè, Margarete Aparecida de Oliveira e da própria Conceição Evaristo, sobretudo o que se refere ao conceito de escre(vivência).

Biografia do Autor

Flavio Camargo, Universidade Federal de Goiás
Doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás, Brasil (2012). Professor Associado, nível I da Universidade Federal de Goiás, Brasil
Publicado
2020-04-15