Análise da evolução temporal de óbitos por Covid-19 em Chapecó, SC, Brasil

Autores

  • Jiennifer Souza de Oliveira Universidade Federal da Fronteira Sul, UFFS, Chapecó, SC, Brasil
  • Ederson Nascimento Universidade Federal da Fronteira Sul, UFFS, Chapecó, SC, Brasil

Palavras-chave:

Infecções por coronavírus, Registros de Óbitos, Mortalidade, Vacina contra a COVID-19, Gestão territorial da saúde

Resumo

Neste artigo apresenta-se uma análise da evolução de óbitos causados pela pandemia de COVID-19 no município de Chapecó, em Santa Catarina, relacionando-os aos principais perfis epidemiológicos. Trata-se de um estudo ecológico, realizado por meio de análises temporais sob dados secundários, que considerou os números de óbitos e os recursos de saúde do município, no primeiro semestre de 2021. Foram registrados 562 óbitos de pessoas com confirmação do diagnóstico para COVID-19, sendo que 469 deles ocorreram entre os meses de fevereiro e abril. Os perfis de tais óbitos foram identificados por sexo e faixa etária de cada caso. Identificou-se uma superlotação de leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), tanto no Sistema Único de Saúde (SUS), como nos da rede de atendimento privado, especialmente nos meses de março, abril e maio. Destaca-se, por fim, a importância da vacinação para a redução da mortalidade pela doença no município.

Biografia do Autor

Ederson Nascimento, Universidade Federal da Fronteira Sul, UFFS, Chapecó, SC, Brasil

Geógrafo, doutor em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor adjunto na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus de Chapecó/SC. Professor dos Programas de Pós-graduação em Geografia da UFFS e da UEPG.

Downloads

Publicado

2022-05-16

Como Citar

SOUZA DE OLIVEIRA, J.; NASCIMENTO, E. Análise da evolução temporal de óbitos por Covid-19 em Chapecó, SC, Brasil. Terr@ Plural, [S. l.], v. 16, p. 1–13, 2022. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/tp/article/view/19727. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos