Mobilidade territorial e política no discurso de lideranças indígenas do/no estado do Acre (Amazônia, Brasil)

Palavras-chave: estratégias e protagonismos, povos originários, política indigenista

Resumo

Propõe-se discutir a mobilidade territorial, as políticas de lideranças indígenas no estado do Acre, especialmente os Manchineri, e suas estratégias de sobrevivência no mundo do não-indígena, de modo que se possa refletir sobre duas mudanças que testemunhamos nas últimas décadas: a mobilidade para os centros urbanos, que inclui os indígenas nascidos na cidade e os que para ela se deslocaram, bem como a sua crescente adesão às discussões políticas indígenas e indigenistas do país. O caminho metodológico teve como partida a própria ótica das lideranças, para isso será relatado seu modo vida e seus envolvimentos nas políticas de distintas esferas de decisão. O artigo é composto por três seções de discussão que vão da mobilidade ao papel político desempenhado pelas lideranças indígenas.

Biografia do Autor

Adnilson Almeida Silva, Universidade Federal de Rondônia, UNIR, Porto Velho, RO
GEOGRAFIA
Publicado
2020-09-29