A Medeia de Bernard Safran

uma imagem trágica do American Dream

Resumo

O objetivo do artigo é analisar o quadro Medeia de Bernard Safran (1964) a partir de duas direções: a primeira busca rastrear na pintura de Safran um diálogo com a memória cultural das imagens de Medeia, e a segunda examina a interpretação de que a versão de Safran aborda um lado trágico do American Dream em relação ao que Betty Friedan chamou de “o problema sem nome”.

Biografia do Autor

Mateus Dagios, História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
Doutor em História. Possui graduação em História - Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande (2007), especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília e Cátedra UNESCO Archai (2013), mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012) e doutorado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2019).
Publicado
2021-05-04
Seção
Dossiê | Special Issue | Dossier