Historiografia e metodologia em história da África: construindo o conhecimento no chão das escolas quilombolas<I><BR> Historiography and methodology in history of Africa: building knowledge on the ground of quilombolas schools

  • José Francisco dos Santos (UFOB) Universidade Federal do Oeste da Bahia -UFOB

Resumo

Resumo: O presente artigo está baseado na oficina com os educadores que trabalham nas comunidades quilombolas, Barrinha, Peroba, Lagoa das Piranhas, das Escolas Municipais José Santana e Francisco Flores no ensino fundamental I. A atividade ocorreu nessa última escola, no dia 16 de novembro de 2017 e fez parte da “VIII Semana da Consciência Negra e V Seminário das Comunidades Quilombolas do Território Velho Chico”, cujo tema foi “Construindo a Liberdade no Chão das Escolas Quilombolas”. A oficina teve início às 8:00 horas da manhã e prosseguiu até às 17:00. No período da manhã ficou a meu cargo trabalhar com os educadores “Historiografia e Metodologia sobre História da África”. No período da tarde, a professora Fernanda Libório discorreu a respeito da importância da arqueologia. Não obstante, esse artigo vai se deter na primeira parte da oficina.Palavras-chaves: História da África. Historiografia Africana. Metodologia em História da África.Abstract: This article is based on the workshop with educators working in quilombola communities, Barrinha, Peroba, Lagoa das Piranhas, Municipal Schools José Santana and Francisco Flores in elementary school I. The activity took place in this last school, on November 16 of 2017 and was part of the "VIII Black Consciousness Week and V Seminar of the Quilombola Communities of the Velho ChicoTerritory", whose theme was "Building Freedom in the Ground of Quilombola Schools". The workshop started at 8:00 am and continued until 5:00 p.m. In the morning I was in charge of working with the educators "Historiography and Methodology on the History of Africa". In the afternoon, Professor Fernanda Libório discussed the importance of archeology. Nevertheless, this article will stop in the firstpart of the workshop.Keywords: History of Africa. African Historiography. Methodology in History of Africa.Resumen: El presente artículo está basado en el taller con los educadores que trabajan en las comunidadesquilombolas, Barrinha, Peroba, Lagoa de las Piranhas, de las Escuelas Municipales José Santana y Francisco Flores en la enseñanza fundamental I. La actividad ocurrió en esa última escuela, el 16 de noviembre de 2017 e hizo parte de la "VIII Semana de la Conciencia Negra y V Seminario de lasComunidades Quilombolas del Territorio Viejo Chico", cuyo tema fue "Construyendo la Libertad en el suelo de las Escuelas Quilombolas". El taller comenzó a las 8:00 de la mañana y continuó hasta las 17:00. En el período de la mañana se quedó a mi cargo trabajar con los educadores "Historiografía y Metodología sobre Historia de África". En el período de la tarde, la profesora Fernanda Libório habló acerca de la importancia de la arqueología. No obstante, ese artículo se detendrá en la primera parte del taller.Palabras claves: Historia de África. Historiografía africana. Metodología en Historia de África.

Biografia do Autor

José Francisco dos Santos (UFOB), Universidade Federal do Oeste da Bahia -UFOB
Possui graduação em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho campus de Assis (2005) curso de Especialização Latu-Sensu em História,Sociedade e Cultura (2008), Mestrado (2010) e Doutorado(2015) todos em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP. Tem curso livre em Históriade África: Problemas, Fontes e Métodos realizado no programa de pós-graduação mestrado e Doutorado em História da África pela Faculdade de Letras da Universidade deLisboa (2011) . Atualmente é docente Adjunto C, na disciplina de Histórias das Africas/Cultura Afro-brasileira e professor do Programa de Mestrado em Ciência Humanas eSociais na Universidade Federal do Oeste da Bahia - UFOB.

Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe. O Trato dos Viventes: Formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Companhia da Letras, 2000.

BARBOSA, Muryatan Santana. Eurocentrismo, História e História da África.In: Sankofa. Revista de História da África e de Estudos da Diáspora Africana Nº 1 jun./2008. Disponível em <http://www.revistas.usp.br/sankofa/article/view/88723/91620>. Acessado em 13. Abr. 2018

GONÇALVES, José Henrique Rollo. “Das resistências ao ensino escolar de história da África: algumas considerações”. História & Ensino. Londrina, v. 20, n. 1, p. 83-100, jan.-jun. 2014.

HENRIQUES, Isabel Castro. Percursos da Modernidade em Angola: Dinâmicas comerciais e transformações sociais no século XIX. Tradução Alfredo Margarido. Lisboa: Instituto de Investigação Cientifica Tropical/ Instituto da Cooperação Portuguesa, 1997.

HERNANDEZ, Leila Leite. A África na sala de aula: visita à História contemporânea. São Paulo: Selo Negro, 2008.

http://rodavivahistoria.blogspot.com.br/2013/06/teorias-raciais-e-racismo.html. Acessado em 31/03/2018.

https://www.geledes.org.br/chimamanda-adichie-o-perigo-de-uma-unica-historia//. Acessado em 09.abr.2018.

KI-ZERBO, Joseph.. História da África Negra. Vol. I Lisboa: Europa-América, 2009.

LOVEJOY, Paul. Escravidão na África: uma História de Suas Transformações. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

M’BOKOLO, Elikia. África Negra: História e Civilizações Tomo I (até o século XVII). São Paulo/Salvador: EDUFBA/Casas das Áfricas, 2009.

MOORE, Carlos. Novas bases para o ensino da história da África no Brasil (considerações preliminares). 2005.

POLIAKOV, Léon. O Mito Ariano: Ensaio sobre as fontes do racismo e dos nacionalismos. São Paulo: Perspectiva, Ed. da Universidade de São Paulo, 1974.

SILVA, Alberto da Costa. Um Rio Chamado Atlântico: A África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro, 2011.

WILLETT, Frank. Arte Africana. Tradução de Tiago Novaes São Paulo: Imprensa Oficial/SESC, 2017.

ZIÉGLER, Jean. O Poder Africano. São Paulo: Difusão Europeia,1972.

Publicado
2019-08-13