A filosofia a golpes de martelo de Elsa Dorlin: “Se defender” contra o terrorismo de Estado — resenha crítica

  • Bruna Martins Coelho Université de Paris 8 - Vincennes - Saint-Denis

Resumo

Resumo: Este artigo tem a proposta de avaliar como a pobreza e alguns modos como é entendida e tratada se apresenta como de maior incidencia sobre as mulheres. Entender como a pobreza é percebida, vivida e confrontada pelas pessoas requer uma análise das técnicas e metodologias que situam e colocam os indicadores daquela. Já que as mulheres representam a metade da população mundial e estão entre os grupos empobrecidos, levanta-se aqui o questionamento sobre como pobreza e mulheres estão relacionadas e como a cultura contribui para esta relação e também para sua permanencia.Palavras-chave: Pobreza. Mulher. Gênero. Insterseccionalidade.    

Biografia do Autor

Bruna Martins Coelho, Université de Paris 8 - Vincennes - Saint-Denis
Bruna Martins Coelho é doutoranda em filosofia na Universidade Paris 8 (LLCP), bolsista da CAPES e mestre em filosofia pela USP, com dissertação sobre Gilles Deleuze. Trabalhadora precária da universidade, foi professora do ensino médio em São Paulo. Atualmente realiza uma pesquisa intitulada Genealogia da nação brasileira: sexo, raça, classe e família no século XIX. É feminista, lésbica e desconfia das identidades.
Publicado
2019-07-19
Seção
Resenhas | Book Reviews | Reseñas