Alfabetização e letramento de surdos: uma ênfase na Língua Brasileira de Sinais

Autores

Palavras-chave:

Libras, Alfabetização, Diversidade Linguística

Resumo

O presente estudo tem por objetivo compreender o que as pesquisas acadêmicas, realizadas no período de 2019 e 2020, revelam sobre a utilização da Língua Brasileira de Sinais (Libras) como agente facilitador no processo de alfabetização e letramento de estudantes surdos. As discussões apresentadas partem do seguinte questionamento: considerando que a Libras é a língua materna da pessoa com surdez, ela tem sido tomada como ponto de partida no processo de alfabetização desse público? Na realização do levantamento bibliográfico foram identificados 10 artigos que discutiam sobre o tema, catalogados nas plataformas Portal de Periódicos da CAPES, Google Acadêmico e Scielo. A pesquisa tem como principais referências autores como: Costa (2020); Cavalcante e Torres (2020); Nascimento e Murad (2020); Lage (2020); Freitas (2020) e Fernandes (2006). Os resultados apontam que a alfabetização de surdos é potencializada quando a Libras é concebida como o fio condutor para tal processo. Porém é identificado que a maioria desses estudantes não tem sua particularidade linguística respeitada na sua alfabetização, o que deriva da atual política de alfabetização – que prioriza o método fônico como o mais eficaz no ensino da leitura e da escrita – e da falta de formação continuada dos professores atuantes na educação do público-alvo.

Biografia do Autor

Ana Paula Almeida Ferreira, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Discente do Programa de Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede (PROFEI) da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Especialista em Educação Inclusiva pela Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). Especialista em Psicologia da Educação pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Especialista em Docência na Educação Infantil pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Professora da Rede Municipal de Educação de São Luís – MA (SEMED). E-mail: paula_almeida28@hotmail.com

Jackson Ronie Sá-Silva, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

[1] Professor Adjunto do Departamento de Biologia da Universidade Estadual do Maranhão (DBIO – UEMA) e Líder do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências, Saúde e Sexualidade (GP-ENCEX/ UEMA); Doutor em Educação pela UNISINOS; Pós-Doutor em Educação pela UFRGS; Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Maranhão (PPGE – Mestrado Profissional/UEMA). Professor do Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede (PROFEI) da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). E-mail: prof.jacksonronie.uema@gmail.com

Márcia Raika e Silva Lima, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Professora Adjunto do Departamento de Educação da Universidade Estadual do Maranhão-campus Caxias. Doutora em Educação pela UFPI. Professora do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede (PROFEI) da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). E-mail: marcia raika@hotmail.com.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Como Citar

DOS SANTOS PADILHA, M.; ALMEIDA FERREIRA, A. P. .; SÁ-SILVA, J. R. .; E SILVA LIMA, M. R. . Alfabetização e letramento de surdos: uma ênfase na Língua Brasileira de Sinais: Array. Revista Teias de Conhecimento, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 222–241, 2021. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/teias/article/view/19616. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos