DIREITOS DA CRIANÇA: JORNALISTAS, ONGS E O AGENCIAMENTO DA CIDADANIA. Doi: 10.5212/PublicatioCi.Soc.v.19i1.0003

  • Robson Dias Universidade de Brasília
Palavras-chave: Jornalista, Cidadania, Terceiro Setor, Direitos da Criança.

Resumo

O exercício do jornalismo, na concepção iluminista, presume um Estado Democrático de Direito, Liberdade de Expressão e Liberdade de Imprensa. No Brasil, o jornalista profi ssional trabalha em prol dos princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos, além de defender os direitos individuais e coletivos do cidadão garantidos pela Constituição Federal. A partir deste contexto, surgiram vários organismos do Terceiro Setor com estratégias de agendamento de notícias na mídia, tendo a cidadania como valor inerente à atividade jornalística. A Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI) trabalha a pauta da infância e da adolescência no espaço midiático. Abordaremos o prêmio Jornalista Amigo da Criança como estratégia de mobilização de jornalistas em prol da promoção da pauta da infância e da adolescência.

Biografia do Autor

Robson Dias, Universidade de Brasília
Doutorando em Comunicação, sob orientação do Profº Drº Luiz Martins da Silva, no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (PPGFAC/UNB). Vinculado aos projetos de pesquisa credenciados no CNPQ: A idéia do pós-Jornalismo (2010-2013) e O Jornalismo como Teoria Democrática (2006-2010).
Publicado
2012-05-17
Seção
Artigos