JUSTIÇA RESTAURATIVA DECOLONIAL

DESAFIOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE PRÁTICAS RESTAURATIVAS ADEQUADAS NO BRASIL

Autores

  • Thalita Araújo Silva IBMEC-SP
  • Yollanda Farnezes Soares

Resumo

RESUMO

 

Este estudo busca compreender os reflexos da hegemonia do Norte global em relação ao sistema de justiça criminal tradicional. A Justiça Restaurativa surge como um novo modelo de justiça, que busca o empoderamento das partes envolvidas no conflito, utilizando o diálogo como seu instrumento principal, para a construção de uma decisão dialógica. Contudo, ainda é latente a invisibilidade que recai sobre o autor, a vítima e a comunidade atingida. Assim, torna-se um desafio fortalecer o diálogo entre as partes da relação processual, principalmente quando há indivíduos historicamente marginalizados, que tiveram suas experiências silenciadas. A partir de uma revisão da literatura a respeito das epistemologias do Sul, utilizando como método a pesquisa indutiva, analisar-se-ão as dificuldades que a Justiça Restaurativa encontra para se estabelecer de forma efetiva no Brasil. É necessário pensar a Justiça Restaurativa pela perspectiva dos países latino-americanos, sob pena de se perpetuar um cenário de opressão e silenciamento.

 

Palavras-chave: Justiça Restaurativa. Norte global. Diálogo. Epistemologias do Sul.

Downloads

Publicado

2022-02-23

Como Citar

ARAÚJO SILVA, T.; FARNEZES SOARES, Y. JUSTIÇA RESTAURATIVA DECOLONIAL: DESAFIOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE PRÁTICAS RESTAURATIVAS ADEQUADAS NO BRASIL. Publicatio UEPG: Ciências Sociais Aplicadas, [S. l.], v. 29, n. dossiê JR, p. 1–16, 2022. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/sociais/article/view/17900. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Justiça Restaurativa - Chamada 2021-1