Itinerários de cuidado, apoio social e a vivência do aleitamento materno

Resumo

O objetivo desta investigação foi descrever experiências do ato de amamentar de mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) de um município da região metropolitana de Curitiba, Brasil. Para tal, foram realizadas entrevistas em profundidade com 14 mulheres, desde uma perspectiva metodológica da fenomenologia que tem como foco a investigação das experiências vividas. A partir da coleta de dados, foi possível identificar e discutir as seguintes categorias de análise: a experiência de amamentar; as diferentes narrativas sobre o aleitamento materno; o itinerário de cuidado desenvolvido pela mãe e a rede de apoio. Demonstrou-se pelas narrativas como a amamentação é um processo que envolve tanto fatores singulares quanto aspectos sociais, culturais e históricos, e que as entrevistadas acionam os serviços de saúde na busca de cuidados bem como a família e os conselhos das pessoas próximas. A moralização e naturalização do ato de amamentar e seu reforço no sentido de conduta ideal materna, constituinte de uma natureza feminina, podem gerar cortinas de fumaça entre equipe de saúde e mulheres que amamentam. Ficam invisibilizados os desdobramentos subjetivos da experiência física, o trabalho de reelaboração do seu novo status social (lactante), as formas como interpreta e representa a experiência de amamentar. As narrativas encontradas revelam vivências de um corpo que assume um papel socialmente construído e reforçam que o contexto de vida deve ser considerado na abordagem de aleitamento materno a fim de não reforçar na mulher o peso da responsabilidade social, que muitas vezes é destacado no discurso biomédico.

Publicado
2021-10-07
Seção
Artigos / Articles/ Artículos