A Geografia e a violência de vênero: um olhar a partir de Três Lagoas - MS

  • Patricia Milani Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Bianca de Oliveira Lima UFMS

Resumo

Dentre as inúmeras hierarquias e relações desiguais que estruturam nossa sociedade, ressaltamos as de gênero, que não excluem, mas se combinam com outras desigualdades, sobretudo as econômicas e raciais. Apresentamos neste texto algumas análises do ponto de vista da Geografia sobre a violência de gênero com base em dados quantitativos, mas sobretudo informações qualitativas geradas com a realização de uma entrevista cujo recorte territorial foi a cidade de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. Consideramos que os casos de violência de gênero não se restringem às classes sociais mais vulneráveis, embora sejam os mais denunciados e que ganham maior dimensão pública pela mídia. A violência de gênero se expressa de diferentes formas nas hierarquias, classes sociais e no espaço. A dependência econômica não é a única dimensão que dificulta ou impossibilita a saída da mulher da casa e da relação opressora, mas verificamos que outros fatores como dependência afetiva e medo de mais violência (em razão das ameaças) também influenciam a decisão da mulher. Por fim, verificamos que o processo desigual de relações de gênero condiciona relações desiguais de poder dentro e fora das casas, como foi o caso analisado com base em nossa entrevistada.Palavras­-Chave: Violência de Gênero; Relações de Poder; Espaço; Três Lagoas­MS.

Biografia do Autor

Bianca de Oliveira Lima, UFMS
Graduada em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas
Publicado
2020-09-11
Seção
Artigos / Articles/ Artículos