Mulheres indígenas no estado do Acre - BR: do território tradicional ao movimento indígena nas cidades

  • Alessandra Severino Silva Manchinery UNIR
  • Adnilson de Almeida Silva Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em GEOGRAFIA da Universidade Federal de Rondônia
Palavras-chave: geografia, gênero, sexualidades, etnia, diversidade sexual, pós-colonialidades, cultural

Resumo

O presente trabalho pretende refletir sobre territórios e especificidades de mulheres indígenas na Amazônia brasileira, mais especificamente do Estado do Acre, com suas lutas encampadas pela defesa dos territórios ancestrais, bem como o estabelecimento de relações com o movimento indígena. Assim, o caminho metodológico terá como partida a experiência de vida e de luta de lideranças femininas, as quais inserem preocupações quanto aos seus direitos, seus posicionamentos e reflexões que provocam transformações em suas realidades sociais e culturais. Para além das considerações iniciais e finais, o artigo encontra­se estruturado em quatro seções específicas: a) Territórios, Movimento Indígena e Política Indígena; b) Mulheres indígenas no Estado do Acre; c) Territórios e Lideranças femininas; d) Mulheres no Movimento Indígena. O sentido dado por essas mulheres reflete a busca pelo protagonismo e o empoderamento frente à realidade existente no âmbito amazônico.

Biografia do Autor

Alessandra Severino Silva Manchinery, UNIR
Indígena do povo Manchineri - Estado do Acre. Discente do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em GEOGRAFIA da Universidade Federal de Rondônia
Adnilson de Almeida Silva, Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em GEOGRAFIA da Universidade Federal de Rondônia
Professor do Departamento de Geografia e do  Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em GEOGRAFIA da Universidade Federal de Rondônia
Publicado
2019-02-20
Seção
Artigos / Articles/ Artículos