A trajetória da Aliança Renovadora Nacional (ARENA) no Paraná (1965-1979)

  • Alessandro Batistella Universidade de Passo Fundo (UPF)

Resumo

Em outubro de 1965, por meio do Ato Institucional nº 2 (AI-2), a ditadura militar extinguiu os partidos políticos e o sistema pluripartidário em vigência no país desde 1945, criando um novo sistema partidário, o bipartidarismo, que durou até o fim de 1979, caracterizando-se pela existência de um partido governista, denominado de Aliança Renovadora Nacional (ARENA), e de um partido oposicionista, denominado Movimento Democrático Brasileiro (MDB). No presente artigo, pretende-se analisar o processo de organização e a trajetória da ARENA no Paraná entre os anos de 1965 a 1979, examinando as disputas internas pelo poder e os resultados eleitorais do partido no Paraná.

Biografia do Autor

Alessandro Batistella, Universidade de Passo Fundo (UPF)

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Referências

BATISTELLA, Alessandro. O Partido Trabalhista Brasileiro no Paraná (1945-1965). Curitiba: UFPR, 2016.

___________. A ditadura militar e o bipartidarismo: gênese e trajetória da Aliança Renovadora Nacional (ARENA) e do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no Paraná (1965-1982). Curitiba: CRV, 2019.

AZEVEDO, Débora B. de; RABAT, Márcio Nuno. Parlamento mutilado: deputados federais cassados pela ditadura de 1964. Brasília: Câmara dos Deputados, 2012.

CHAGAS, Carlos. A guerra das estrelas (1964-1984): os bastidores das sucessões presidenciais. 4. ed. Porto Alegre: L&PM, 1985.

CHIRIO, Maud. A política nos quarteis: revoltas e protestos de oficiais na ditadura militar brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

DELGADO, Márcio de Paiva. A Frente Ampla de oposição ao regime militar (1966-1968). Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 1997.

GRINBERG, Lucia. Partido político ou bode expiatório: um estudo sobre a Aliança Renovadora Nacional (Arena), 1965-1979. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

IPARDES. Resultados eleitorais: Paraná (1945-1982). Curitiba: IPARDES, 1989.

KINZO, Maria D’Alva Gil. Oposição e autoritarismo: gênese e trajetória do MDB (1966-1979). São Paulo: Vértice, 1988.

KUNHAVALIK, José Pedro. Ney Braga: trajetória política e bases do poder. In: OLIVEIRA, Ricardo Costa (Org.). A construção do Paraná moderno: políticos e política no governo do Paraná de 1930 a 1980. Curitiba: SETI, 2004.

MARTINS FILHO, João Roberto. O palácio e a caserna: a dinâmica militar das crises políticas na ditadura (1964-1969). São Carlos: EDUFSCar, 1995.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Introdução à história dos partidos políticos brasileiros. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

___________. Sobre as origens e motivações do Ato Institucional 5. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 38, n. 79, 2018.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

REBELO, Vanderlei. Ney Braga, a política como arte. Curitiba: Imprensa Oficial, 2004.

SANT’ANA, Hugo. Paulo Pimentel: momentos decisivos. Curitiba: Travessa dos Editores, 2008.

Publicado
2021-12-06
Como Citar
BATISTELLA, A. A trajetória da Aliança Renovadora Nacional (ARENA) no Paraná (1965-1979) . Revista de História Regional, v. 26, n. 2, 6 dez. 2021.