Para além do verniz europeu: considerações sobre as gentes e cores na ocupação territorial do município de Cachoeira/RS

Autores

Resumo

O presente artigo tem como objetivo trazer algumas reflexões acerca da composição populacional do município de Cachoeira, localizado na região central do Rio Grande do Sul, tomando como ponto de partida a análise de materiais impressos como jornais e almanaques locais. Considerando que grande parte destes materiais tipográficos foram produzidos nas primeiras décadas do século XX, pretende-se compreender de que forma estes impressos contribuíram para construir percepções sobre as populações não brancas daquela região e a identificação de Cachoeira como um município de características populacionais e culturais europeias, uma vez que seu território também ter sido ocupado por imigrantes alemães e italianos. A partir da consulta aos relatórios e censos populacionais do século XIX, assim como, aos trabalhos historiográficos que pesquisaram sobre aquele espaço, percebe-se desde os primórdios uma importante presença numérica de não brancos. Neste sentido, confronta-se a invisibilidade expressa nos impressos analisados em relação às experiências sociais das populações negra e indígena como parte da tessitura social daquela região.

Biografia do Autor

Aline Sônego, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda em História pela Universidade Federal de Santa Maria (PPGH/UFSM).

Referências

ALBERTO, Paulina L. El Negro Raúl: Lives and Afterlives of an Afro-Argentine Celebrity, 1886 to the Present. Hispanic American Historical Review, 96:4, 2016, pp.669-710.

ANJOS, José. LOPES, Dilmar, SILVA, Paulo. Laudo antropológico e etnohistórico sobre a comunidade rural negra remanescente de quilombo de São Miguel – Restinga Seca. Porto Alegre, 2002.

ARAÚJO, Thiago Leitão. Escravidão, fronteira e liberdade: políticas de domínio, trabalho e luta em um contexto produtivo agropecuário (vila de Cruz Alta, província do Rio Grande do Sul, 1834-1884). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, UFRGS, 2008.

AUGUSTO, Ronald. Nem raro, nem claro. Porto Alegre: Butecanis Editora Cabocla, 2015.

ATLAS Socioeconômico Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria do Planejamento, Governo e Gestão, 4 ed. 2019. Disponível em: <https://atlassocioeconomico.rs.gov.br/demografia-1872-a-1980>. Acesso em: 7 jul. de 2021.

BRINGMANN, Sandor F. Kaingang vs. colonos: um fenômeno de fronteiras étnico-geográficas no Rio Grande do Sul do século XIX. Histórica – Revista Eletrônica do Arquivo Público do Estado de São Paulo, nº 35, 2009.

CAMOZATO, Benjamin C. (Org.) Grande álbum de Cachoeira no Centenário da Independência do Brasil. Cachoeira do Sul: Município de Cachoeira, 1922.

CAMPOS, Vanessa Gomes de (Org.). Guia arquivos pessoais e coleções IHGRGS. Porto Alegre: Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, 2013.

CARVALHO, Daniela Vallandro de. “Entre a solidariedade e a animosidade”: Os Conflitos e as Relações Interétnicas Populares Santa Maria – 1885 a 1915. Dissertação (Mestrado em História). UNISINOS, 2005.

CHALHOUB, Sidney. Cidade Febril. Cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

COMISSOLI, Adriano. Povoamento e governança pública: elites locais e Câmaras municipais no sul da América portuguesa (1693-1810). In: REMEDI, José Martinho R. (Org). Na Fronteira do Império: política e sociedade na Rio Pardo oitocentista. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2018.

CRUZ, Heloísa de Faria. São Paulo em papel e tinta: periodismo e vida urbana (1890-1915). São Paulo: Arquivo Público do Estado de São Paulo, 2013.

DIRETORIA Geral de Estatística. Recenseamento Geral do Império de 1872. Rio de Janeiro: Typ. Leuzinger / Tip. Commercial, 1876, v. 11.

DREYS, Nicolau. Notícias descritivas da província do Rio Grande de São Pedro do Sul. 4ed. Porto Alegre: Nova Dimensão, EDIPUCRS, 1990.

FAGUNDES, Rosicler Maria R. Esfaqueamento no Púlpito: o comércio e suas elites em Cachoeira do Sul na segunda metade do século XIX (1845-1865). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, UNISINOS, 2009.

FARINATTI, Luís Augusto E. Sobre as Cinzas da Mata Virgem: Lavradores Nacionais na Província do Rio Grande do Rio Grande do Sul (Santa Maria, 1845-1880). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1999.

FARINATTI, Luís Augusto E. Confins Meridionais. Famílias de elite e sociedade agrária na fronteira sul do Brasil (1825-1865). Santa Maria: Ed. UFSM, 2010.

FARINATTI, Luís Augusto E. Rumos da História Agrária no Rio Grande do Sul: resultados, fontes e possibilidades de pesquisa. In: REMEDI, José Martinho R. (Org). Na Fronteira do Império: política e sociedade na Rio Pardo oitocentista. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2018.

GIMENO, Alejandro J. F. Apropriações e comércio de terras na cidade de Cachoeira no contexto da imigração europeia (1850-1889). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História. UFSM, 2014.

GRIGIO, Ênio. “No alvoroço da festa, não havia corrente de ferro que os prendesse, nem chibata que intimidasse”: a comunidade negra e sua Irmandade do Rosário (Santa Maria, 1873-1942). Santa Maria: Câmara Municipal de vereadores de Santa Maria, 2018.

GUTFREIND, Ieda. A Historiografia rio-grandense. 2ª ed. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1992.

HERÉDIA, Vânia. A imigração europeia no século passado: o programa de colonização no Rio Grande do Sul. Scripta Nova. Revista Eletrónica de Geografia e Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona, v. 5, nº 94, 2001, s/p. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/sn-94-10.htm. Acesso em: 10 jan.2020.

JORNAL O Commercio, 14 de agosto de 1918. Cachoeira, Rio Grande do Sul. Anno XIX, nº 976. Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul.

JORNAL O Commercio, 16 de agosto 1916. Cachoeira, Rio Grande do Sul. Anno XVII, nº 872. Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul.

JORNAL Rio Grande, 16 de novembro de 1911. Cachoeira, Rio Grande do Sul. Anno VII, n° 80. Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul.

LAYTANO, Dante. O negro no Rio Grande do Sul. Terceira parte- aspecto folclórico-ciclo das lendas no Rio Grande do Sul. Estudos Ibero-americanos, XXI (2), dezembro, 2005, pp.187-201.

LIMA, Maurício L. Interfaces entre Gilberto Freyre e Dante Laytano: a “democracia gaúcha”. Semina, v. 12, nº 1, 2013.

LIVRO DE REGISTROS. Delegacia de Polícia. Cachoeira. 1887. Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul.

MAGALHÃES, Magna L. Entre a preteza e brancura brilha o Cruzeiro do Sul: associativismo e identidade negra em uma localidade teuto-brasileira. Tese (Doutorado em História). UNISINOS, 2010.

MATHEUS, Marcelo Santos. Fronteiras de liberdade: escravidão, hierarquia social e alforria no extremo sul do Império do Brasil (província do Rio Grande de São Pedro, Alegrete, 1829-1888). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História. UNISINOS, 2012.

MELLO, Marcelo Moura. Caminhos criativos da história: territórios da memória em uma comunidade rural negra. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Programa de pós-graduação em Antropologia Social. UNICAMP, 2008.

MELO, Karina M. R. da Silva e. A aldeia de São Nicolau do Rio Pardo: identidades indígenas em construção. In: REMEDI, José Martinho R. (Org). Na Fronteira do Império: política e sociedade na Rio Pardo oitocentista. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2018.

MENDONÇA, Joseli Maria Nunes. Escravidão, Africanos e Afrodescendentes na “Cidade mais Europeia do Brasil”: identidade memória e História Pública. Tempos Históricos, v. 20, p. 218-240, 2016.

MENSAGEM. Intendente Capitão Francisco Fontoura Nogueira da Gama ao Conselho Municipal em 20 de setembro de 1917. Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul.

MOREIRA. Paulo R. S; MATHEUS, Marcelo. As matrículas de escravos da capitania de São Pedro do Rio Grande: análise dos plantéis de cativos das freguesias de Mostardas, Cachoeira e Triunfo – década de 1780. Anais do 6º Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. UFSC, 2013.

NEUMANN, Eduardo Santos. Uma fronteira tripartida: a formação do continente do Rio Grande – século XVIII. In: GRIJÓ, Luiz Alberto, et.al. Capítulos de história do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: ed. UFRGS, 2005, pp.25-46.

OLIVEIRA, Renata Saldanha. Cativos julgados: experiencias sociais escravas de autonomia, sobrevivência e liberdade em Cachoeira do Sul na segunda metade do século XIX. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, UFSM, 2013.

OSÓRIO, Helen. Apropriação de terra no Rio Grande de São Pedro e a formação do espaço platino. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, UFRGS, 1990.

PERUSSATTO, Melina K. “A todo preto questionava se era livre ou escravo”: considerações sobre a Rio Pardo escravista e desigual (1860-1888). In: REMEDI, José Martinho R. (Org). Na Fronteira do Império: política e sociedade na Rio Pardo oitocentista. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2018.

PIASSINI, Carlos Eduardo. Imigração Alemã e Política: os deputados provinciais Koseritz, Kahlden, Haensel, Brüggen e Bartholomay. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, 2017.

PORTELA, Vitorino de C., PORTELA, Manoel de C. Cachoeira histórica e informativa. Cachoeira: Tipografia Portela, 1940.

PORTO, Aurélio. Cachoeira. Resumo Histórico. In: CAMOZATO, Benjamin C. (Org.). Grande álbum de Cachoeira no Centenário da Independência do Brasil. Cachoeira do Sul: Município de Cachoeira, 1922.

PORTO, Aurélio. O trabalho alemão no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1996.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos. Departamento de Arquivo Público. Documentos da escravidão: catálogo seletivo de cartas de liberdade acervo dos tabelionatos do interior do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CORAG, 2006.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos. Departamento de Arquivo Público. PESSI, Bruno Stelmach (Coord.) Documentos da escravidão: inventários: o escravo deixado como herança. Porto Alegre: CORAG, 2010.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos. Departamento de Arquivo Público. SCHERER, Jovani de Souza; ROCHA, Márcia Medeiros (Coord.). Documentos da escravidão: compra e venda de escravos: acervo dos tabelionatos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CORAG, 2010.

RITZEL, Mirian Regina Machado. Dicionário Bibliográfico Cachoeirense: natos e adotivos. Porto Alegre: Martins Livreiro, 2006.

ROSA, Marcus Vinicius de F. Além da invisibilidade: história social do racismo em Porto Alegre durante o pós-abolição. Porto Alegre, EST Edições, 2019.

SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem ao Rio grande do Sul, 1820-1821. Belo Horizonte: Itatiaia; 1974.

SCHUH, Angela S.; CARLOS, Ione M. S. Cachoeira do Sul. Em busca de sua história. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1991.

SELBACH, Jeferson F. Muito além da Praça José Bonifácio: as elites e os outsiders em Cachoeira do Sul pela voz do Jornal do Povo, 1930-1945. Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-graduação em História, UNISINOS, 2007.

SILVA, Marcio Antônio Both da. Por uma lógica camponesa: caboclos e imigrantes na formação do agro no Planalto rio-grandense (1850-1900). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, UFRGS, 2004.

SÔNEGO, Aline. Sob a condição que continue em nossa companhia: As décadas finais da escravidão e a transição para o trabalho livre em um município rio-grandense. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, Universidade de Passo Fundo, 2011.

SÔNEGO, Aline. Terra pr’a que te quero? A inserção social campesina da comunidade afrodescendente de São Miguel. Monografia (Especialização em História do Brasil), UFSM, 2005.

TAMBARA, Elomar. A leitura escolar como construção ideológica: o caso na lenda do Negrinho do Pastoreio (1857-1906). Revista História da Educação, vol. 9, número 17, janeiro/junho, 2005.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

TELES, Jefferson M. O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul e o espaço social dos intelectuais: trajetória institucional e estudo das redes de solidariedade (e conflitos) entre intelectuais (1920-1956). Tese (Doutorado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2015.

THOMPSON FLORES, Mariana Flores da Cunha. Crimes de Fronteira: a criminalidade na fronteira meridional do Brasil (1845-1889). Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2012.

TRAMONTINI, Marcos J. A escravidão na colônia alemã. Disponível em: http://cdn.fee.tche.br/jornadas/1/s5a3.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

VENDRAME, Maíra I. “Lá Éramos Servos, Aqui Somos Senhores”: A organização dos imigrantes italianos na ex-Colônia Silveira Martins (1877-1914). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-graduação em História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2007.

WERLANG, Willian. História da Colônia de Santo Ângelo. Santa Maria: Pallotti, 1995.

ZARTH, Paulo A. Do arcaico ao moderno: O Rio Grande do Sul agrário do século XIX. Ijuí: Ed. Unijuí, 2002.

Downloads

Publicado

2021-12-06

Como Citar

SÔNEGO, A. Para além do verniz europeu: considerações sobre as gentes e cores na ocupação territorial do município de Cachoeira/RS. Revista de História Regional, [S. l.], v. 26, n. 2, 2021. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/rhr/article/view/17309. Acesso em: 28 jun. 2022.