Género, movilidad y frontera. La identidad de las mujeres portuguesas que emigraron a Canarias durante la Unión Ibérica

Resumo

Ao longo do último quartel do século XVI, especialmente após da agregação da Coroa portuguesa à Monarquia Hispânica, a consolidação do mundo atlântico deu-se por meio de complexas redes socioeconômicas transoceânicas. Nesse cenário, as Ilhas Canárias tornaram-se locais atrativos para a realização de novas atividades profissionais e comerciais. A comunidade portuguesa que se instalou nas ilhas durante este período favoreceu a internacionalização destes territórios ao incluí-los nas suas redes atlânticas. No entanto, a agência das mulheres portuguesas que emigraram para o Arquipélago ainda é desconhecida. O objetivo desta investigação, com base na análise de fontes documentais primárias, é identificar as mulheres portuguesas que se fixaram nas ilhas, conhecer as relações locais e transnacionais em que se encontram inseridas e, em última instância, caracterizar a identidade destes sujeitos com base no gênero e na mobilidade transfronteiriça.

Biografia do Autor

Javier Luis Álvarez Santos, CHAM, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa
Doutor em História Moderna pela Universidade Nova de Lisboa e a Universidad de La Laguna. Investigador júnior do CHAM-Centro de Humanidades, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, FCSH, Universidade Nova de Lisboa. E-mail: jlasantos@fcsh.unl.pt
Publicado
2021-06-18