Estrutura interna e ação eleitoral de uma agremiação oposicionista no contexto da Era Vargas: o caso do Partido Social Nacionalista (Estado do Paraná, 1934)

Resumo

Neste artigo é realizada uma investigação sobre a composição social do núcleo dirigente e das chapas de candidatos do Partido Social Nacionalista (PSN), no ano de 1934. Tal agremiação funcionou no âmbito do Estado do Paraná. Por meio de um estudo de caso, o propósito deste trabalho é produzir um conhecimento sobre as formas de ação eleitoral de partidos estaduais de oposição nos anos posteriores à Revolução de 1930. Primeiro, cumpre demonstrar que essa agremiação contou com a presença de uma nova geração de políticos. Uma parcela dos membros dessa geração era eleitoralmente mais competitiva do que os políticos veteranos ligados àquele partido. Segundo, é destacado que o PSN também foi o refúgio de parentelas que haviam perdido influência no cenário político paranaense nos anos finais da Primeira República. O terceiro argumento afirma que essa agremiação não se tornou a principal força eleitoral da oposição paranaense. Nesse contexto, os políticos governistas da época da Primeira República formaram o grupo oposicionista mais competitivo do estado.

Biografia do Autor

Sandro Aramis Richter Gomes, Universidade Federal do Paraná
Graduado (2009), mestre (2012) e doutor (2017) em História pela Universidade Federal do Paraná.
Publicado
2021-06-18