Legitimação de terras e propriedade colonial no Paraná provincial: Paranaguá – 1854-1887

  • Caiubi Martins Dysarz Universidade Federal do Paraná

Resumo

Grande parte da historiografia brasileira considerou que os europeus imigrados no sul do Brasil, durante os séculos XIX e XX, formaram uma camada de agricultores pequenos proprietários, em oposição às grandes propriedades da lavoura de exportação. Paralela a esta interpretação, os nacionais não tiveram o mínimo de segurança jurídica e nem oportunidades para usufruir de tal prerrogativa. A análise em menor escala pode evidenciar que tal quadro, muitas vezes simplista, revela-se mais complexo, e longe da população nacional ser despojada passivamente de seus meios de vida, encontrou meios para garantir a posse de suas terras. Aos imigrantes, ao contrário, a possibilidade de propriedade tornou-se muitas vezes uma perspectiva distante. A partir do exemplo de um empreendimento colonial no litoral paranaense, na segunda metade do século XIX, pretende-se observar o quanto a divisão estanque aludida acima releva-se de maior complexidade.  

Biografia do Autor

Caiubi Martins Dysarz, Universidade Federal do Paraná
Graduado em História pela Universidade Federal do Paraná no ano de 2010. Mestre em História pela mesma instituição no ano de 2013.
Publicado
2020-07-17