Trajetórias de pessoas sem fama: vida cotidiana em Mallet-PR (1912-1940)

  • Lucas Kosinski Universidade Federal do Paraná.
  • Hélio Sochodolak Universidade Estadual do Centro-Oeste.

Resumo

As fontes criminais associadas a outras como documentos do poder executivo, legislativo e jornais revelam possibilidades sugestivas para se escrever sobre a história das práticas do cotidiano. Tomamos como mote os processos criminais de homicídios e lesões corporais registrados no município de Mallet que teve suas origens no contexto da “ocupação territorial” do Sul do Paraná. Selecionamos as fontes desde a fundação do munícipio em 1912 até 1940, coincidindo com relativa elevação de registros criminais. Nosso objetivo aqui é abordar a vida cotidiana malletense sob a luz das considerações teóricas de Michel de Certeau, especificamente das noções estratégias, táticas, espaços, lugares e trajetórias.

Biografia do Autor

Lucas Kosinski, Universidade Federal do Paraná.
Doutorando pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Pesquisador no Núcleo de Pesquisas em História da Violência (NUHVI).
Hélio Sochodolak, Universidade Estadual do Centro-Oeste.
Prof. Dr. Vinculado ao Programa de Pós Graduação em História da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Coordenador do Núcleo de Pesquisas em História da Violência (NUHVI).
Publicado
2019-11-25