A pesquisa em Política Educacional e a teoria da complexidade no Brasil (2014-2018)

Resumo

Este estudo tem por escopo analisar as características epistemológicas de artigos científicos publicados em periódicos especializados do campo de Política Educacional que utilizaram princípios da teoria da complexidade como referencial analítico no período de 2014 a 2018. O estudo é resultado parcial de uma pesquisa qualitativa, exploratória quanto aos objetivos e teórico-bibliográfica quanto aos procedimentos. Para abordar o objeto de estudo a partir do Enfoque das Epistemologias da Política Educacional (EEPE), tem-se como motivação a comprovada falta de teorização ou a fragilidade teórica das pesquisas sobre políticas educacionais, como apontam os estudos de Carvalho e Fávero (2020), Fávero e Tonieto (2016a, 2016b), Mainardes (2009, 2016, 2017, 2018a, 2018b), Stremel (2016), Tonieto (2018), Tonieto e Fávero (2017, 2020). Inicialmente, apresentam-se os traços gerais da teoria da complexidade acompanhado dos aspectos metodológicos do estudo e o corpus da pesquisa; e, em seguida, são apresentados os resultados da metapesquisa, acompanhados de comentários de cunho analítico. Palavras-chave: Metapesquisa. Teoria da complexidade. Política Educacional.

Biografia do Autor

Roberta Cajaseiras de Carvalho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC)
Doutora em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Mestre em Turismo pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Especialista em Gestão de Ambientes Costeiros Tropicais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e Bacharel em Turismo pela UFPE. Professora do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC). Tem experiência nas áreas de turismo e educação, com ênfase nos temas: planejamento turístico, patrimônio cultural, gestão ambiental, eventos e capacitação, aperfeiçoamento e qualificação profissional. Integrante do Projeto de Pesquisa Docência Universitária, políticas educacionais e expansão d a educação superior: perspectivas e desafios. 
Altair Alberto Fávero, Universidade de Passo Fundo
Possui Pós-Doutorado (Bolsista Capes) pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx), Doutorado em Educação (UFRGS), Mestre em Filosofia do Conhecimento (PUC/RS), Especialista em Epistemologia das Ciências Sociais (UPF) e Graduado em Filosofia (UPF). Atua como professor e pesquisador no Curso de Filosofia, no Mestrado e Doutorado em Educação da UPF, onde coordena o projeto de Pesquisa Docência Universitária, políticas educacionais e expansão da educação superior: perspectivas e desafios (em andamento desde março de 2012). Além de diversas publicações em periódicos qualificados e várias editoras, pela Mercado de Letras é autor do livro Educar o educador: reflexões sobre formação docente (em coautoria com Carina Tonieto, lançado em 2010) e é organizador das Coletâneas Leituras sobre John Dewey e a educação (em co-organização com Carina Tonieto lançado em 2011), Leituras sobre Hannah Arendt: educação, filosofia e política (em co-organização com Edison Alencar Casagranda, lançado em 2012), Leituras sobre Richard Rorty e a educação (em co-organização com Carina Tonieto, lançado em 2013) e Docência Universitária: pressupostos teóricos e perspectivas didáticas (em co-organização com Carina Tonieto e Leandro Carlos Ody, lançado em 2015). Pela Editora CRV publicou Espaço Europeu de Educação Superior (EEES) para além da Europa (em co-organização com Maria de Lurdes Pinto de Almeida e Afrânio Mendes Catani, publicado em 2015) e Políticas de Educação Superior e Docência Universitária: diálogos Sul-Sul (em co-organização com Gionara Tauchen, lançado em 2016).
Publicado
2020-09-18
Edição
Seção
Artículos