A genealogia e a biopolítica: escolhas epistemológicas em análises de políticas educacionais

  • Raquel A. L. S. Venera Universidade da Região de Joinville

Resumo

Resumo: Este artigo tem a intenção de socializar uma escolha epistemológica em análises de políticas educacionais a partir dos conceitos genealogia e biopolítica, especialmente trabalhado por Michel Foucault (2002, 2008), e este último também por Antônio Negri e Michel Hardt (2004, 2005), como uma aposta potente para o debate dos enfoques e perspectivas epistemológicos no campo das análises de políticas. Propõe-se que o fazer pesquisa em Políticas Educacionais seja, em última instância, um local de elogio à criação e construção de conhecimentos novos em políticas educacionais. Quer-se apresentar questões que foram geradas durante as pesquisas desenvolvidas na linha de pesquisa Cultura, Juventudes e Produção de Subjetividades, do Grupo de Pesquisa Políticas e Práticas Educativas da Univille, GPPPE, e que acabaram por se desdobrar em novas frentes de pesquisas onde outras criações estão postas em ato.   Palavras-chave: Políticas Educacionais. Epistemologia. Genealogia. Biopolítica. Subjetividades.

Referências

Barros, M. (1993). O livro das ignorãças. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Deleuze, G.; Guattari, F. (1992). O que é filosofia? Rio de Janeiro: 34.

Foucault, M. (1999). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (2002). Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes.

Foucault, M. (2008). Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes.

Hardt, M.; Negri, A. (2004). Império. Rio de Janeiro: Record.

Hardt, M.; Negri, A. (2005). Multidão. Rio de Janeiro: Record.

Rancière, J. (1996). O desentendimento. Política e Filosofia. São Paulo: 34.

Tello, C.; Mainardes J. (2012). La posición epistemológica de los investigadores en Política Educativa: debates teóricos en torno a las perspectivas neomarxista, pluralista y pos-estructuralista. Archivos analíticos de políticas educativas, v. 20, n. 9, p. 1-36.

Tello, C.; Mainardes, J. (2015). Revistando o enfoque das epistemologias da política educacional. Práxis Educativa, v. 10, n. 1, p. 153-178.

Publicado
2017-08-14
Seção
Artículos