DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DE NITRETAÇÃO A PLASMA DE AÇO INOXIDÁVEL MARTENSÍTICO A BAIXA TEMPERATURA DE EXTRATORES CLOACAIS DE AVES PARA O ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO MEIO OESTE CATARINENSE

  • Frederico Murilo Wlassak IFC - Instituto Federal Catarinense Campus Luzerna
  • Dr. Eng. Mario Wolfart Junior IFC - Instituto Federal Catarinense Campus Luzerna

Resumo

A nitretação dos aços inoxidáveis martensíticos apresentam grande interesse tecnológico, pois obtêm-se um aumento significativo de sua dureza superficial e resistência ao desgaste. A região do meio oeste catarinense conta com a presença da empresa Junior Frigometal presente no mercado de peças de reposição, manutenção e máquinas para o setor frigorífico. Deste modo, os componentes mecânicos desenvolvidos pela empresa necessitam ser fabricados com aços inertes a oxidação e corrosão como determinado pela Anvisa, como por exemplo o aço inoxidável martensítico AISI 440C. Um componente em destaque é o extrator cloacal de aves, que requer grande resistência ao desgaste em virtude da vida útil, e também resistência à corrosão, devido ao meio agressivo que é exposto e principalmente por estar em contato com produtos alimentícios. Entretanto, para que os aços inoxidáveis martensíticos atinjam as propriedades mecânicas exigidas, devem ser submetidos a tratamentos termoquímicos tais como a nitretação a plasma. No entanto, devido às altas temperaturas utilizadas (500 a 600°C) atualmente no processo de nitretação, observa-se uma extensa formação de precipitados de nitretos de cromo, com consequente redução de resistência à corrosão do material. A proposta deste trabalho foi de utilizar a tecnologia de plasma para nitretar aços inoxidáveis martensíticos AISI 440C a temperaturas relativamente baixas (300 a 400°C) a fim de evitar precipitação de nitretos, proporcionando a manutenção da resistência a corrosão do aço. Tendo obtido um aumento considerável na dureza superficial dos corpos de prova, e por consequência uma maior resistência ao desgaste.

Biografia do Autor

Dr. Eng. Mario Wolfart Junior, IFC - Instituto Federal Catarinense Campus Luzerna

Possui graduação em Engenharia Metalurgica - Departamento de Metalurgia (1993), mestrado na área de concentração de Ciência Tecnologia dos Materiais pelo curso do programa em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais (1996) e Doutorado em Engenharia na área de concentração de Ciência Tecnologia dos Materiais pelo curso do programa em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais (2002). Possui Graduação em Licenciatura para Educação Profissional e Tecnológ. Tem experiência como Especialista de Materiais na empresa STIHL Ferramentas Motorizadas Ltda durante 9 anos. Durante este tempo trabalhou com tratamento Térmico de cementação, austêmpera, têmpera, carbonitretação, tempera por indução e e tratamentos de deposição superficial. Foi gestor do laboratório de ensaios, metalúrgico e químico da Stihl. Atuou na área de fundição por gravidade e por injeção de alumínio. Trabalhou também em desenvolvimento de fornecedores nacionais e internacionais. Atualmente, é professor de nível básico, técnico e tecnológico do IFC - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Câmpus Luzerna - SC na área de Engenharia Mecânica e Técnico em Mecânica. Instituição:IFC - Luzerna Vínculo:Professor Dr. pesquisador EBTT Atividade:Ensino, Administração, Pesquisa, Extensão.

Publicado
2021-09-02
Seção
Artigos