Políticas de formação do alfabetizador e produção de políticas curriculares: pactuando sentidos para formação, alfabetização e currículo

  • Rita de Cássia Prazeres Frangella Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo discute o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC (2012), programa instituído pelo Ministério da Educação que visa assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade e que tem como ação prioritária a formação do professor alfabetizador. Argumenta-se que a produção de políticas é luta por significação que envolve diferentes discursos que se articulam na produção de um discurso pedagógico que, em busca de qualidade, nesse caso, significa o investimento na formação de professores como instituidores de políticas curriculares. Analisam-se os documentos referentes ao PNAIC e outros com os quais ele se relaciona, interrogando os sentidos de formação, currículo e alfabetização que deles se depreendem, observando o deslocamento/deslizamento do que se considera, neste artigo, núcleo de significação importante para as propostas: o direito à aprendizagem. Daí se desdobra a valorização das discussões metodológicas/procedimentais, em uma centralidade da dimensão do ensino que se observa na proposta.   Palavras-chave: PNAIC. Formação do alfabetizador. Currículo.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Prazeres Frangella, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Professora adjunta da Faculdade de Educação da UERJ. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação - Proped. É Jovem Cientista do Nosso Estado da FAPERJ, PROCIENTISTA/UERJ. A pesquisa conta com financiamento da FAPERJ/ CNPq.  
Publicado
2016-06-01
Seção
Políticas de Formação de Professores Alfabetizadores