Teorizando o Estado e a Globalização na política e políticas educacionais

  • Guy Burton University of Nottingham, Malaysia Campus

Resumo

Este artigo visa reverter o pensamento muito convencional (e geralmente crítico) que enfatiza a proeminência neoliberal na política e na formulação de políticas. Dois principais processos de formulação de políticas são observados: (1) um processo sistemático e racional ou (2) uma versão cumulativa (gradual/incremental). Este último é percebido como um modelo mais realista e representativo por fazer uso de perspectivas específicas relacionadas à natureza e ao papel do Estado no atual mundo globalizado. Com base nos livros Theories of the State (Dunleavy e O’ Leary, 1987) e Theories of the Democratic State (Dryzek e Dunleavy, 2009), quatro teorias principais são identificadas: a pluralista/neopluralista, a marxista, a elitista e a Nova Direita/mercado liberal. Três perspectivas de globalização são analisadas: a neoliberal, a radical e transformacionalista. Essa última oferece insights sobre o impacto variado da globalização no processo de formulação de políticas e seus resultados. O ensaio termina com um apelo para futuras pesquisas reconhecerem a natureza complexa da formulação de políticas, utilizando, dessa forma, uma análise mais diversificada.   Palavras-chave: Teorias do Estado. Globalização. Modelos de criação de políticas.
Publicado
2014-05-23
Seção
Estudos teóricos e epistemológicos sobre política educacional