O positivismo como fundamento epistemológico clássico das políticas educacionais e a institucionalização da prática escolar na contemporaneidade

  • Lindomar Wessler Boneti Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Resumo

Este artigo constitui-se de uma reflexão epistemológica em políticas educacionais na perspectiva de contribuir com o debate da Red Latinoamerica de Estudios Epistemológicos en Política Educativa (ReLePe). Trata-se de resgatar o caminhar histórico da posição Positivista como fundamento epistemológico clássico da institucionalização das políticas educacionais no que se refere à implementação da ação educativa, com foco especial ao conjunto de regras, de normas e de valores que regem o fazer da escola. Argumenta-se que esses fundamentos constituem-se a partir de dois movimentos interligados: construção histórica dos fundamentos epistemológicos da ciência e do Estado Moderno que, com o novo modo de produção, o capitalismo, dá origem ao segundo: movimento burguês de distinção de classe com base no estilo de vida. Assim, a partir da “Razão Moderna”, delineou-se o que se pode considerar como um “modelo de civilidade”, passando a se constituir o fundamento epistemológico e a meta de realização da institucionalização das políticas educacionais e a atividade escolar na contemporaneidade.   Palavras-chave: Políticas Educacionais. Fundamentos epistemológicos. Positivismo.

Biografia do Autor

Lindomar Wessler Boneti, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR
Educação e SociologiaProfessor do Mestrado e do Doutorado em Educação da PUCPR
Publicado
2014-05-23
Seção
Estudos teóricos e epistemológicos sobre política educacional