Entendendo o estado gerencial e sua relação com a educação: algumas ferramentas de análise

Autores

  • Iana Gomes de Lima Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Luís Armando Gandin UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.7i1.0004

Resumo

O texto apresenta a construção de ferramentas teóricas para a análise do estado e das políticas públicas contemporâneas, com especial atenção às políticas educacionais. Com a contribuição de John Clarke e Janet Newman e agregando conceitos utilizados por Michael Apple e Stephen Ball, o texto oferece lentes teóricas para o exame da natureza gerencialista do Estado contemporâneo. Através de uma dispersão do poder, deborramento das fronteiras entre o público e o privado e de políticas avaliativas que controlam as ações das instituições públicas, o Estado gerencial combate o Estado de bem-estar social e cria as bases para políticas públicas que redesenham a relação entre sociedade civil e Estado. O texto conclui com algumas implicações para o campo de estudo das políticas educacionais, enfatizando que a lógica gerencialista não é transposta automaticamente, sem mediações, a todas as ações do estado.

 

Palavras-chave: Gerencialismo. Políticas Educacionais. Estado.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2012-06-29

Como Citar

LIMA, I. G. de; GANDIN, L. A. Entendendo o estado gerencial e sua relação com a educação: algumas ferramentas de análise. Práxis Educativa, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 69–84, 2012. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.7i1.0004. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/3398. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos