A resistência como práxis dos movimentos ambientalistas e ecológicos

Lairton Tres

Resumo


Entre os movimentos sociais populares existentes destaca-se o movimento ambientalista que apresenta em seus grupos vertentes um pouco diferenciadas, mas que, em comum, desenvolvem sua luta a favor da natureza, incluindo não só a ecologia, mas também, a natureza humana. Na incessante manifestação para garantir a qualidade de vida a todos os seres vivos constroem sua práxis no esforço diário em defesa da vida. Alguns de forma radical, outros mais pacíficos, procuram ser mediadores de um processo de transformação social que visa formar de maneira digna os cidadãos do mundo. Nesta perspectiva constituem a racionalidade ambiental, como processo político re-orientador de tendências capaz de constituir uma nova forma de organização produtiva da sociedade, permitindo a sua sustentabilidade. Os movimentos ambientalistas na sua práxis de resistência carregam a militância como bandeira visando incorporar seus princípios na ciência social contra as normas do modelo positivista da ciência e contra a racionalidade instrumental que prevalece nas relações que se mantém na nossa sociedade, que fere os direitos da natureza prejudicando assim, além de todos os seres vivos, a própria humanidade. Este trabalho quer trazer um pouco da história dos movimentos ambientalistas, resgata o papel deste tipo de movimento social de acordo com suas vertentes. Também nos remete a uma reflexão quanto à racionalidade ambiental e a práxis de resistência incorporada pelos ambientalistas.

 

Palavras-chave: Movimento ambientalista. Movimento ecologista. Natureza. Práxis e resistência.

 

Abstract

 

Among the popular social movements existent stands out the environmentalist movement that presents in your groups slopes a little differentiated, but that, in common, they develop your fight in favor of the nature, including not only the ecology, but also, the human nature. In the incessant manifestation to guarantee the life quality to all be them alive they build your praxis in the daily effort in defense of the life. Some in way radical, other more peaceful, try to be mediators of a process of social transformation that seeks to form in a worthy way the citizens of the world. In this perspective they constitute the environmental rationality, as process political re-advisor of tendencies capable to constitute a new form of productive organization of the society, allowing your sustainability. The environmentalist movements in your resistance praxis carry the militancy as flag seeking to incorporate your beginnings in the social sciences against the norms of the positive model of the science and against the instrumental rationality that prevails in the relationships that stays in our society, that hurts the rights of the nature harming like this, besides all being alive, the own humanity. This work wants to bring a little of the history of the environmentalist movements, it rescues the paper of this type of social movement in agreement with your slopes. It also sends us the a reflection with relationship to the environmental rationality and the praxis of incorporate resistance for the environmentalists.

 

Keywords: Movement ambientalista. Environmentalist movement. Nature. Praxis and resistance.


Palavras-chave


Movimento ambientalista. Movimento ecologista. Natureza. Práxis e resistência.

Texto completo:

PDF


 
 
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.