Existencialidades na roça instituídas pela ruralidade da presença

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.17.19349.038

Resumo

Neste estudo, busca-se compreender como professores/as que atuam em escolas da roça constituem a presentificação do ser-na-roça para significar sua existência a partir da ruralidade da presença. Utiliza-se como método a Pesquisa Narrativa, com ênfase no movimento biográfico-narrativo, associada à abordagem qualitativa e ancorada nas bases da fenomenologia e da hermenêutica. Os dispositivos de pesquisa tomados como possibilidade de recolha e de produção de dados se configuram em torno das entrevistas narrativas e das etnografias na roça. Conclui-se que a ruralidade da presença se mostrou como possibilidade de tradução de sentidos do viver a roça e de reunir condições de desver a roça que cada pessoa produz, se colocando como assenhoramento de ruralidades diversas que cada pessoa que mora na roça toma para representar e significar seus modos de existir no rural e produzir a vida e suas experiências com e na roça.

Palavras-chave: Ruralidade da presença. Pesquisa Narrativa. Docência na roça.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Charles Maycon de Almeida Mota, Universidade do Estado da Bahia

Doutor em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Professor lotado no Centro de Referência ao Apoio Pedagógico (CRAP) – Secretaria Municipal de Educação de Várzea do Poço, Bahia. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB).

Jane Adriana Vasconcelos Pacheco Rios, Universidade do Estado da Bahia

Pós-doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Titular Plena da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Professora Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEDUC). Líder do Grupo de Pesquisa DIVERSO/Rede FORMAD.

Downloads

Publicado

2022-03-14

Como Citar

MOTA, C. M. de A.; RIOS, J. A. V. P. Existencialidades na roça instituídas pela ruralidade da presença. Práxis Educativa, [S. l.], v. 17, p. 1–14, 2022. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.17.19349.038. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/19349. Acesso em: 20 maio. 2022.