Escola em meio rural e medidas de concentração escolar: o caso da zona geográfica do Pinhal Interior Sul, Portugal (início do século XXI)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.17.18513.004

Resumo

O artigo procura analisar o impacto que o encerramento de escolas unitárias e as medidas de concentração associadas (construção de centros escolares) tiveram numa zona geográfica de Portugal Continental – o Pinhal Interior Sul (PIS), território de baixa densidade e rural –, no início do século XXI. O objetivo, mobilizando um conjunto de fontes estatísticas (demográficas e educacionais) e, também, recorrendo às cartas educativas dos municípios, foi o de perceber se esse processo obedeceu a razões sociais, económicas e pedagógicas fundadas na ideia de desenvolvimento rural numa perspetiva integrada. No fundo, que visão de desenvolvimento foi difundida? Aquilo que se conclui é que não só não se inverteu o recuo do mundo rural (intensificou-se, aliás) como a tipologia centro escolar parece não ter aumentado a capacidade pedagógica das escolas.

Palavras-chave: Portugal. Pinhal Interior Sul. Centro escolar. Escola rural. Carta educativa.

Biografia do Autor

Carlos Manique da Silva, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Doutor em Ciências da Educação. Investigador da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação e Formação, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (Portugal).

Publicado

2021-11-23

Como Citar

MANIQUE DA SILVA, C. Escola em meio rural e medidas de concentração escolar: o caso da zona geográfica do Pinhal Interior Sul, Portugal (início do século XXI): Array. Práxis Educativa, [S. l.], v. 17, p. 1–21, 2021. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.17.18513.004. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/18513. Acesso em: 18 maio. 2022.