Confluências afro-pindorâmicas: por uma formação humana contra-colonialista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.17.18499.069

Resumo

Neste artigo, pretende-se pensar como o colonialismo atua na formação humana, seja organizando o pensamento para um “mundo ordenado”, seja condicionando o ser humano para um distanciamento da natureza. Essas duas situações serão problematizadas a partir de uma confluência entre as teses de Antônio Bispo dos Santos, Denise Ferreira da Silva e Davi Kopenawa com a intenção de pensar-se um mundo outrem em que o ser humano esteja em harmonia com o cosmo. Com isso, o interesse é enunciar uma formação humana contra-colonialista.

Palavras-chave: Confluência. Mundo outrem. Cosmofilia.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luís Thiago Freire Dantas, Universidade do Estado Rio de Janeiro

Professor de Filosofia da Educação na Universidade do Estado Rio de Janeiro (UERJ). Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

DANTAS, L. T. F. Confluências afro-pindorâmicas: por uma formação humana contra-colonialista. Práxis Educativa, [S. l.], v. 17, p. 1–12, 2022. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.17.18499.069. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/18499. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Relações étnico-raciais: práticas e reflexões pedagógicas