A Educação Especial como campo acadêmico no Brasil: fontes de pesquisa

Resumo

Este artigo teve como objetivo indicar as principais fontes de pesquisa utilizadas para explorar a constituição do campo acadêmico da Educação Especial. Foi organizado um conjunto de 13 fontes de pesquisa, divididas entre os três momentos que resultaram no processo de constituição acadêmica da Educação Especial: 1. Antecedente; 2. Constituinte; e 3. Expansão. Fundamentado no conceito de campo de Pierre Bourdieu, em autores do campo da Educação Especial e em autores que tratam da institucionalização de campos acadêmicos, obteve-se como resultados: a) Os textos que circulavam em Revistas sobre Educação e a formação de professores caracterizaram as fontes sobre o campo teórico da Educação Especial; b) As fontes do momento constituinte apontaram a década de 1960 como marco inicial do campo acadêmico, por meio da oferta dos primeiros cursos voltados à Educação Especial na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, até o surgimento em 1989, do GT15 da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação - ANPEd; e c) O momento de expansão do campo foi evidenciado pelas fontes, a partir da década de 1990, com o desenvolvimento do movimento inclusivo, até os dias atuais. É necessária ampliação das pesquisas para fortalecimento desse campo. Palavras-chave: Campo acadêmico. Educação Especial. Fontes de pesquisa.
Publicado
2021-03-02