Democratização escolar e mobilidade social na França: a Sociologia empírica de Beaud, Truong e Pasquali

Resumo

O artigo apresenta desenvolvimentos recentes na Sociologia Francesa sobre os temas clássicos das desigualdades educacionais e da mobilidade social. Escolhemos fazê-lo por meio da análise da produção de três autores, Stéphane Beaud, Fabien Truong e Paul Pasquali, que se situam no cruzamento entre uma sociologia da juventude, da educação, da imigração e da mobilidade social. Os três abordam trajetórias de jovens de classes populares no Ensino Superior, no contexto atual de massificação desse nível de ensino na França, por intermédio de pesquisa qualitativa e longitudinal. O artigo explicita os fundamentos teóricos e metodológicos desses estudos pós-bourdieusianos e apresenta seus principais aportes para o debate sociológico contemporâneo. Destacamos a amplitude e a densidade das pesquisas; o quadro analítico da mobilidade social pensada como “migração de classe”; a construção do objeto, que insere a questão da “longevidade escolar” no quadro mais amplo das implicações dos deslocamentos no espaço social. Palavras-chave: Juventude de camadas populares. Ensino Superior. Mobilidade social.
Publicado
2020-08-29
Seção
Artigos