Uma nação sob risco (de aprender): análise do pensamento neoconservador sobre a educação e a experiência no governo Ronald Reagan (1981-1989)

Resumo

Este artigo tem por objetivo refletir sobre o papel da educação no pensamento neoconservador como chave para reconstrução da liderança global dos Estados Unidos da América (EUA), sobretudo na experiência do Governo Ronald Reagan (1981-1989). Para isso, investigou-se, com base na análise de conteúdo, o enlace entre os escritos de Irving Kristol, os discursos de Reagan, documentos oficiais, dados orçamentários e artigos de membros do Governo e de pesquisadores da área de educação no período. Esse esforço metodológico foi articulado à teoria sobre o Sistema Mundo Moderno, em especial ao exame da crise sistêmica que atingiu os EUA no final dos anos de 1960. Nesse contexto, o pensamento neoconservador emergiu como uma ideologia para reestruturar a liderança global estadunidense. Para isso, atacou e ressignificou o papel da educação, sugerindo uma articulação maior com a produtividade, a competitividade e a defesa militar. O Governo Reagan tentou colocar o projeto neoconservador para educação em prática, adaptando a realidade. Palavras-chave: Neoconservadorismo. Educação. Relações Internacionais.
Publicado
2020-06-28
Seção
Seção Temática: Políticas conservadoras na Educação Básica