Parar pandêmico: educação e vida

Resumo

Este ensaio debate a educação nos tempos da Covid-19 a partir da problematização do papel do Estado, do paradigma linguístico nos currículos e do conteudismo, diante da paragem e da suspensão de atividades presenciais. Discutem-se duas frentes a serem combatidas: a escolarização vinculada ao futuro e a produtividade conteudista que relega à formação. Multirreferencial, dialoga com Boaventura Souza Santos, Byung-Chul Han, Gilles Deleuze, Michel Foucault e outros para questionar os itinerários educativos nesse contexto. Com Friedrich Nietzsche, pensa-se uma educação vinculada ao presente e à vida. Formulam-se indagações sobre o governo dos corpos, o papel das instituições educacionais, as relações de poder nas políticas públicas e as reconfigurações educativas frente ao isolamento social. Em defesa da potencialização de processos formativos pautados em uma ética amorosa com o mundo, reivindica-se que as instituições educacionais se permitam pausas ativas na reinvenção dos percursos pedagógicos. Palavras-chave: Conteudismo. Covid-19. Formação.
Publicado
2020-07-02
Seção
Seção Temática: Adiando o fim da escola