Escola sem Partido: análise de uma rede conservadora na educação

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar e analisar o movimento Escola sem Partido, que articula atores sociais em torno de uma agenda conservadora para a educação no Brasil. A partir de uma análise de redes políticas de governança, apoiada em estudos de Ball, com a utilização de uma metodologia qualitativa de redes e uso do aplicativo Gephi, o texto analisa alguns atores sociais importantes para a sustentação dessa iniciativa conservadora. A pesquisa demonstra que o Escola sem Partido, embora divulgue ser uma iniciativa contra a doutrinação ideológica, é resultado de uma grande combinação de interesses ideológicos, conservadores e partidários. Como resultado da pesquisa, o artigo mostra que o Escola sem Partido é mais um movimento em torno de uma luta por hegemonia ideológica no campo educacional. Palavras-chave: Escola sem Partido. Redes políticas. Governança. Educação.
Publicado
2020-06-02