Sempre atrás de um buraco tem um olho: racionalidade neoliberal, autoritarismo fundamentalista, gênero e sexualidade na Educação Básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.15.15010.045

Resumo

Este artigo está estruturado em quatro tópicos a serviço de estabelecer relações entre a racionalidade neoliberal e o autoritarismo fundamentalista, sempre de olho nas questões em gênero e sexualidade no terreno da Educação Básica. Inicialmente, desenha-se o contexto político e cultural recente no Brasil. Em seguida, discute-se o contexto político e cultural recente no Brasil, fazendo uso dos conceitos de neoliberalismo, de racionalidade neoliberal, de democracia e de desdemocratização e de sujeito empreendedor. Posteriormente, o texto trata dos impasses envolvidos na abordagem dos temas em gênero e sexualidade na Educação Básica, a partir da etnografia de cenas escolares; além disso, lida com os conceitos de gênero; de sexualidade; de ideologia de gênero; de pedagogias do gênero e da sexualidade; e de diversidade e de pânico moral. Por fim, articulam-se as reflexões feitas nos tópicos anteriores ao uso da afirmação “o Estado faz o gênero e o gênero faz o Estado”, de forma a enfatizar que gênero, sexualidade e os elementos de ordem moral conservadora do atual Governo não são elementos acidentais do projeto de racionalidade neoliberal, mas, sim, estão em seu coração.

Palavras-chave: Racionalidade neoliberal. Políticas conservadoras. Pedagogias do gênero e da sexualidade.

Downloads

Publicado

2020-04-23

Como Citar

SEFFNER, F. . Sempre atrás de um buraco tem um olho: racionalidade neoliberal, autoritarismo fundamentalista, gênero e sexualidade na Educação Básica. Práxis Educativa, [S. l.], v. 15, p. 1–19, 2020. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.15.15010.045. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/15010. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Seção Temática: Políticas conservadoras na Educação Básica