Paradoxos e tensões na construção do espaço público da educação: alternativas educativas de escolha parental e desescolarização nos coletivos parentais do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a linha tênue existente entre movimentos que reivindicam alternativas educativas em relação à instituição escolar - argumentando pela liberdade de escolha em relação aos espaços/tempos de educação - e à precarização das instituições públicas de educação. A partir de Hannah Arendt, António Nóvoa, Jan Masschelein, Marteen Simons e Félix Guattari, assim como da revisão crítica de produções acadêmicas recentes (teses e dissertações) sobre iniciativas de coletivos parentais e seus discursos “desescolarizadores” no contexto brasileiro, discutimos a complexidade da questão do público na educação em meio às disputas de atores privados nas pautas das políticas educativas, de modo a problematizar as relações família-escola e as tensões entre público e privado no campo da Educação Infantil. Palavras-chave: Desescolarização. Educação domiciliar. Coletivos parentais.
Publicado
2020-04-02
Seção
Dossiê: Homeschooling: controvérsias e perspectivas