Homeschooling e os irrenunciáveis perigos da educação: reflexões sobre as possibilidades de educação sem escola no mundo plural a partir de Arendt, Biesta e Savater

Resumo

Diante do crescimento da temática da Educação Domiciliar no cenário político brasileiro e da apresentação de Projetos de Lei para regulamentar a prática, este artigo pretendeu, a partir de uma investigação teórica, refletir sobre as possibilidades de “educação sem escola” no mundo contemporâneo. Buscou-se compreender, a partir de Arendt, Biesta e Savater, no que consiste a Educação e qual é o caráter da escola. Refletiu-se sobre as distinções e os papéis educacionais das esferas privada e pública e o lugar da escola entre elas, assim como sobre o que significa uma efetiva Educação. Concluiu-se que, embora possam se confirmar as afirmações de que a Educação Domiciliar apresentaria melhores performances acadêmicas, apenas a escola pode oferecer condições para uma efetiva Educação, porque só na escola é possível criar oportunidades relativamente seguras para o contágio pelo que é outro e para a inserção adulta no mundo. Palavras-chave: Homeschooling. Esfera privada. Esfera pública.
Publicado
2020-01-26
Seção
Dossiê: Homeschooling: controvérsias e perspectivas