Igualdade de direitos ou heteronormatividade? Professores e professoras diante da homossexualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.15.14305.021

Resumo

No cotidiano da escola, professores e professoras encontram-se diante de questões sobre as quais não tiveram oportunidade de refletir ou estudar mais detidamente. Entre outros, a homossexualidade é um tema que os/as desafia, especialmente quando são forçados/as a refletir de forma mais ativa a partir de imagens e de filmes e não apenas por meio da leitura de produções teóricas. Assim sendo, este artigo analisa posicionamentos em torno da homossexualidade registrados em um fórum de discussão online por professores e professoras da Educação Básica do Distrito Federal no âmbito de um curso de formação continuada. Em linhas gerais, observou-se que a heteronormatividade é tomada como uma matriz que se organiza de modo binário e assimétrico, com efeito regulador e uniformizador do meio social e que produz estigmatização. A análise dos registros, realizada com base no Método Documentário, revelou ainda a existência de três tipos de orientação distintos em relação à homossexualidade no universo dos 140 professores e professoras que participaram da formação: negação, revisão das suas posições e defesa da homosexualidade. Essas orientações distintas revelam o peso da heteronormatividade na construção de uma educação que busca defender a igualdade de direitos.

Palavras-chave: Heteronormatividade. Homossexualidade. Homofobia na escola. Igualdade de direitos. Diversidade na educação. Formação continuada de professores e professoras.

Downloads

Publicado

2019-12-27

Como Citar

BASSALO, L. de M. B.; WELLER, W. Igualdade de direitos ou heteronormatividade? Professores e professoras diante da homossexualidade. Práxis Educativa, [S. l.], v. 15, p. 1–18, 2019. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.15.14305.021. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/14305. Acesso em: 29 maio. 2022.