Pauta Geral - Estudos em Jornalismo https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta <p>Revista Pauta Geral – Estudos em Jornalismo é uma publicação semestral do Programa de Pós-graduação em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), que tem como objetivo divulgar estudos e pesquisas em Jornalismo, seja como resultado de investigação concluída ou em andamento, buscando o fortalecimento do campo jornalístico também em nível de pós-graduação no Brasil. A revista recebe artigos, resenhas e entrevistas em fluxo contínuo.&nbsp;</p> Universidade Estadual de Ponta Grossa pt-BR Pauta Geral - Estudos em Jornalismo 2318-857X A Coordenação Editorial da Revista Pauta Geral e seus consultores/pareceristas não se responsabilizam pelo material publicado (em seus diversos formatos), seja no que diz respeito aos conteúdos, referências, conceitos ou citações e tampouco pela estrutura de apresentação. A responsabilidade (autoral e intelectual) é exclusivamente dos autores que assinam os artigos/ensaios submetidos à Revista. Ainda poucas vozes: Jornalismo Internacional, Agências de Notícias e a busca pela pluralidade https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/14110 - Ivan Bomfim Pedro Aguiar Copyright (c) 2019 Ivan Bomfim, Pedro Aguiar 2019-07-24 2019-07-24 6 1 1 4 Diferenciação, visibilidade social e singularização: estratégias adotadas pelos correspondentes internacionais brasileiros em busca de uma vitória identitária https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13196 <p>Buscamos, neste trabalho, analisar as estratégias para uma vitória identitária dos jornalistas correspondentes internacionais brasileiros, observando a correspondência internacional enquanto um posto de trabalho na carreira jornalística que vive um cenário de tensões que desencadeiam uma crise de identidade profissional. No cenário, destaca-se um novo contexto tecnológico e empresarial, além de transformações no papel e lugar do jornalismo e de novas demandas das relações internacionais. Assim, fases de ruptura podem desencadear mudanças identitárias e processos estratégicos de defesa de uma identidade profissional. A pesquisa se desenvolve com o propósito de compreender a prática e as percepções sobre o posto de correspondente internacional a partir de pontos de vista dos próprios sujeitos, por meio de entrevistas com 15 profissionais brasileiros que atuam ou atuaram como correspondentes em algum momento da carreira. Percebemos como os correspondentes caminham em busca dessa vitória identitária e da manutenção do seu posto de trabalho, a partir de três estratégias: diferenciação, visibilidade social e singularização.</p> Luciane Fassarella Agnez Dione Oliveira Moura Copyright (c) 2019 Luciane Fassarella Agnez, Dione Oliveira Moura 2019-07-24 2019-07-24 6 1 5 21 Os correspondentes internacionais em zonas de conflito: ética, produção da notícia e teorias do jornalismo no ensino da profissão https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13674 Este artigo discute o trabalho dos correspondentes internacionais em zonas de conflito, sua importância como exemplo de prática jornalística para a sala de aula e como é possível evidenciar a aplicação das teorias do jornalismo no dia a dia destes profissionais. Para isso, utilizamos entrevistas em profundidade, exclusivas, com correspondentes internacionais sobre a produção de notícia em ambientes de conflito. Felipe Gomberg Camila Welikson Copyright (c) 2019 2019-07-24 2019-07-24 6 1 22 38 De portas fechadas: a midiatização do fechamento das fronteiras venezuelanas com Brasil e Colômbia https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13379 <p>O artigo traça uma aproximação com a noção de midiatização na situação de cobertura noticiosa sobre a crise na fronteira entre Brasil, Colômbia e Venezuela em fevereiro de 2019. Trata-se de um recorte temporal da cobertura internacional, compreendendo o período considerado de maior tensão, quando do fechamento da fronteira pelas autoridades venezuelanas, momento em que o trabalho jornalístico se intensificou. O objetivo do estudo foi o de identificar o volume de notícias veiculadas por diversos veículos circulantes no Brasil, com foco no Portal de notícias G1/Norte/Roraima com vistas a avaliar em que medida o processo de midiatização influenciou a construção e difusão do acontecimento noticiosos.</p> Márcio Barbosa Norberto Ada Cristina Machado Silveira Mayara Souto Collar Copyright (c) 2019 Márcio Barbosa Norberto, Ada Cristina Machado Silveira, Mayara Souto Collar 2019-07-24 2019-07-24 6 1 39 58 Novas narrativas nos telejornais da Globo News https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13888 <p>Neste trabalho, analisamos como as tecnologias digitais móveis têm influenciado as narrativas internacionais apresentadas nos telejornais do canal de notícias 24 horas GloboNews, da Rede Globo. Com o apoio teórico de Alfredo Vizeu (2016), Antonio Fausto Neto (2006; 2007; 2008), Dominique Maingueneau (2008), Ekkehard Eggs (2008), Fabiana Piccinin (2014), José Luiz Fiorin (2004) e Yvana Fechine (2008), observamos como se dá o desvelamento do mundo pelos correspondentes da emissora, com o uso de determinadas estratégias discursivas, entre elas a de autorreferencialidade, para a construção de um ethos desses profissionais. Verificamos que a experiência do fazer jornalístico tem sido incorporada à reportagem como notícia.</p> Ana Carolina Vanderlei Cavalcanti Isaltina Mello Gomes Copyright (c) 2019 Ana Carolina Vanderlei Cavalcanti, Isaltina Mello Gomes 2019-07-24 2019-07-24 6 1 59 77 Ruptly: em busca de um protagonismo no mercado dominado pelas agências do Ocidente https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13680 <p>Este artigo é um esforço interpretativo para analisar a agência de notícias russa Ruptly, que começou a operar em 2013. Contextualizamos o papel dela como um novo ator na irrigação atual do sistema noticioso do telejornalismo mundial, desafiando agências ocidentais como Reuters TV e Associated Press Television News (APTN). Usamos como estratégia de pesquisa o levantamento de dados e a revisão de literatura. Três fatores podem ter contribuído para seu crescimento: a emergência da narrativa russa de se contrapor à hegemonia europeia e americana; a transição das agências no modo de disseminar seus conteúdos para clientes que atuam não apenas como emissoras, mas, como veículos multiplataforma integrados; e ao esgotamento do modelo de negócios.</p> Maria Cleidejane Esperidião Copyright (c) 2019 Maria Cleidejane Esperidião 2019-07-24 2019-07-24 6 1 78 94 Da expansão ao retrocesso: mudanças na Agência Brasil de 2015 a 2018 https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13385 <p>Este artigo relata as mudanças na Agência Brasil, agência pública de notícias on-line da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), desde 2015. Em meio à crise política que culminou no impedimento da presidenta Dilma Rousseff, a Agência Brasil, junto com a EBC, buscava se consolidar como meio de comunicação pública. O Conselho Curador da empresa e os funcionários mobilizados pediam o aprofundamento do projeto e queriam que a EBC tivesse mais autonomia em relação ao governo federal. Ao mesmo tempo, trocas de chefias e interferências políticas mostravam o interesse do poder executivo em manter controle sobre o complexo de comunicação da EBC, que tem seu maior alcance e relevância na Agência Brasil, site que fornece gratuitamente fotos e textos jornalístico para milhares de veículos em todo o Brasil e em outros países.</p> Akemi Nitahara Souza Cristina Rego Monteiro da Luz Copyright (c) 2019 Akemi Nitahara Souza, Cristina Rego Monteiro da Luz 2019-07-24 2019-07-24 6 1 95 111 Inforpress(ão): as disfuncionalidades da propriedade estatal e controlo governamental da agência de notícias https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13679 <p>O artigo versa sobre as implicações da propriedade e financiamento estatais na independência e autonomia das agências nacionais de notícias. Revela que a manutenção da Inforpress na tutela estatal confirma o seu valor estratégico e a lógica subordinada a critérios economicistas em detrimento da eficiência. Num continuum de transição de um modelo de jornalismo autoritário, no período pós-democrático, para a atual propaganda governamental, conclui que a Inforpress não tem sido nem imune à interferência do proprietário, nem independente dos interesses governativos. Por fim, aponta como fator justificativo a concepção enviesada e ultrapassada do modelo de jornalismo para o desenvolvimento, em contraponto e contraciclo com a fase de consolidação democrática em Cabo Verde.</p> Rui Alexandre Novais Copyright (c) 2019 Rui Alexandre Novais 2019-07-24 2019-07-24 6 1 112 130 Mapeamento dos veículos de comunicação da cidade de Imperatriz-MA https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13477 <p>Este artigo se propõe a traçar um mapeamento dos veículos de comunicação: rádio, televisão, jornal impresso, revista e internet (blogs, sites e portais) de Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão, localizada na região sudoeste do estado. A pesquisa foi realizada entre outubro de 2016 e abril de 2018. O objetivo principal deste trabalho é elaborar um panorama dos veículos e programas jornalísticos locais. A metodologia utilizada foi quantitativo-descritiva, com aporte de pesquisa bibliográfica para descrever o cenário histórico e atual da comunicação de Imperatriz. Como resultado, pôde-se constatar que Imperatriz dispõe de dois grandes jornais impressos, “O Progresso”, veículo mais tradicional, e o jornal “Correio”. A cidade conta ainda com 09 revistas, 10 emissoras de rádio, 08 veículos de televisão e 40 páginas na plataforma online (blogs, sites e portais). Este levantamento tem a importância de fazer uma radiografia dos veículos e programas do município, podendo ser aproveitado para estudos futuros na área da comunicação de Imperatriz, da região e do estado.</p> Marcos Fábio Belo Matos Leticia Holanda de Sousa Copyright (c) 2019 Marcos Fábio Belo Matos, Leticia Holanda de Sousa 2019-07-24 2019-07-24 6 1 131 147 O uso de fontes de informação nacionais e internacionais: uma pesquisa nos portais Superinteressante e Galileu https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/13220 <p>Este artigo traz dados da pesquisa quantitativa que avalia a noticiabilidade da informação científica em matérias de portais de revistas de divulgação científica brasileiras. O estudo considerou o uso de fontes de informação internacionais e nacionais. O corpus de análise totalizou uma amostra com 730 matérias das editorias de Saúde e Ciência veiculadas em dois períodos diferentes nas edições online das revistas Superinteressante e Galileu. A primeira fase fez parte do projeto de Iniciação Científica (PIC), em 2016, com coleta na editoria de Saúde e a segunda foi tema do TCC, concluído em 2018, na editoria de Ciências. A maioria das fontes de informação utilizadas nas matérias de ambos os portais são provenientes de entidades e revistas científicas internacionais renomadas. Resultados parciais apontam a subutilização de fontes nacionais, provenientes da pesquisa científica nacional.</p> Gabriella Zauith Leite Lopes Giovana Alves Faria Copyright (c) 2019 Gabriella Zauith Leite Lopes, Giovana Alves Faria 2019-07-24 2019-07-24 6 1 148 165 “Nós, professores, temos uma obrigação quase moral de nos aproximarmos das novas tecnologias e compreendê-las” https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/14111 <p>Entrevista com o espanhol Ramón Salaverría, <span>um dos principais nomes mundiais no âmbito das pesquisas em ciberjornalismo.</span></p> Ivan Bomfim Karine Vieira Copyright (c) 2019 Ivan Bomfim, Karine Vieira 2019-07-24 2019-07-24 6 1 166 183