A narrativa midiática de um processo transnacional:

a imigração venezuelana para o Brasil por reportagens jornalísticas

  • Camila Escudero Universidade Metodista de São Paulo

Resumo

Este artigo tem o objetivo de verificar em reportagens jornalísticas sobre a imigração internacional envolvendo América Latina e Brasil – com recorte para a chegada de venezuelanos via Roraima –, elementos temáticos que compõem a narrativa midiática sobre a localização geográfica e temporal do sujeito imigrante, bem como sua identificação: ‘aqui’ e ‘lá’; ‘presente’, ‘passado’ e ‘futuro’; ‘nós’, ‘eles’ e ‘o outro’. A proposta está embasada no conceito de transnacionalismo indicado por Schiller (2010; 2012) e Vertovec (1999; 2009) e foi realizada por meio da técnica de pesquisa Análise Temática. Os principais resultados apontam para a necessidade de se pensar não só o papel da mídia na produção de sentidos socialmente compartilhados sobre as migrações contemporâneas, mas também para o questionamento da visão de estado-nação como forma “natural” de organização política e social do planeta, para o mito da homogeneidade dos processos migratórios e para a visão do deslocamento como algo externo à sociedade e um problema a ser solucionado.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
EscuderoC. (2020). A narrativa midiática de um processo transnacional: . Pauta Geral - Estudos Em Jornalismo, 7(1), 1-17. Recuperado de https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/14933