Inforpress(ão): as disfuncionalidades da propriedade estatal e controlo governamental da agência de notícias

Rui Alexandre Novais

Resumo


O artigo versa sobre as implicações da propriedade e financiamento estatais na independência e autonomia das agências nacionais de notícias. Revela que a manutenção da Inforpress na tutela estatal confirma o seu valor estratégico e a lógica subordinada a critérios economicistas em detrimento da eficiência. Num continuum de transição de um modelo de jornalismo autoritário, no período pós-democrático, para a atual propaganda governamental, conclui que a Inforpress não tem sido nem imune à interferência do proprietário, nem independente dos interesses governativos. Por fim, aponta como fator justificativo a concepção enviesada e ultrapassada do modelo de jornalismo para o desenvolvimento, em contraponto e contraciclo com a fase de consolidação democrática em Cabo Verde.


Texto completo:

PDF
';



Indexadores: LatindexIBICT/ SEERREVIScomDiadorimDialnet; Doaj; SumáriosPortal LivreSHERPA/ROMEO; FLASCO Argentina; Scholar Google

Creative Commons BY-SA 3.0 - Revista Pauta Geral - estudos em jornalismo 2014 - 2018, periódico científico do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UEPG: É permitido copiar e redistribuir o material em qualquer suporte ou formato, remixar, transformar, e criar a partir do material para qualquer fim, mesmo que comercial, desde que citada a fonte. Aqueles que o fizerem, devem manter o mesmo padrão de direito autoral.