Cultivando o desenho da criança: liberdade, encantamento e transgressão

Main Article Content

Jocicleia Souza Printes
https://orcid.org/0000-0002-6065-6058
Michelle de Freitas Bissoli
https://orcid.org/0000-0002-2570-4392

Resumo

Este texto é fruto de uma pesquisa de doutorado na linha de formação de professores que objetivou compreender como um processo de formação continuada com professoras da pré-escola, a partir da perspectiva da teoria Histórico-Cultural, pode contribuir para que seu trabalho amplie as possibilidades de expressão infantil, especialmente pelo desenho. Observamos como as relações se davam e como o desenho ocupava tempo e espaço no planejamento. Por meio da pesquisa com formação, propusemos um grupo de estudos para discutirmos sobre a necessidade da arte, formação estética, imaginação e criação. As experiências propostas pelas professoras passaram a pensar o desenho numa combinação do corpo em movimento, superfícies e marcadores. O desenho ganhou centralidade no planejamento e ressignificou o fazer, antes preocupado apenas com o resultado. Processo e produto passaram a dialogar e o resultado foi um conjunto de experiências de fruição e liberdade, valorizando o desenho como expressão.

Metrics

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
SOUZA PRINTES, J.; DE FREITAS BISSOLI, M. Cultivando o desenho da criança: liberdade, encantamento e transgressão. Olhar de Professor, v. 24, p. 1-24, 2 jul. 2021.
Seção
Práticas artísticas contemporâneas, crianças e docência: experiências estéticas
Biografia do Autor

Jocicleia Souza Printes, Universidade do Estado do Amazonas

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (2006), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Amazonas (2010) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Amazonas (2018). Professora da Universidade do Estado do Amazonas - UEA, no Centro de Estudos Superiores de Tabatinga - CESTB, nas áreas de Educação Infantil, Infâncias e Ensino. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação de professores e educação infantil. Interesses de pesquisa: Educação Infantil e Infância, Teoria Histórico-Cultural, Artes Visuais, Desenho Infantil, Literatura Infantil. Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas Teoria Histórico-Cultural, Infância e Pedagogia - UFAM e do Laboratório de Educação, Psicologia e Teoria Social - LEPTS/UEA/CESTB. Graduanda do curso de Artes Visuais - UFAM.

Michelle de Freitas Bissoli, Universidade Federal do Amazonas

Possui graduação em Pedagogia (1996), Mestrado (2001) e Doutorado (2005) em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/ Marília e Pós-Doutorado (2010) pela USP. Atualmente, é professor Associado IV da Universidade Federal do Amazonas, onde atua no Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação e Infâncias e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Atuou na Educação Básica (Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental). Foi Membro do Corpo Editorial da Revista Amazônida (2007-2009); Coordenadora do Curso de Especialização em Educação Infantil (2008); membro da Coordenação Ampliada do PPGE/UFAM (2012) e membro do Núcleo Docente Estruturante da FACED/UFAM (2015-2018). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em ensino-aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: formação do leitor, literatura infantil, Teoria Histórico-Cultural, formação de professores e Educação Infantil. ORCID ID http://orcid.org/0000-0002-2570-4392

Referências

AUGUSTO, Silvana de Oliveira. Ver depois de olhar: a formação do olhar do professor para o desenho da criança. São Paulo: Cortez, 2014.
BRASIL. Resolução no 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Disponível em: . Acesso em: 17 de setembro de 2016.
CUNHA, Sérgio Luiz da. Brincar e aprender. v. 1. São Paulo: PESC, 2011.
DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. Porto Alegre, RS: Zouk, 2010.
ELKONIN, Daniil Borissowitsch. Sobre o problema da periodização do desenvolvimento psíquico na infância. In: LONGAREZI, Andréa Maturano; PUENTES, Roberto Valdés (org.). Ensino Desenvolvimental: antologia. Trad. Ademir Damazio. Livro 1. Uberlândia, MG: EDUFU, 2017.
FISCHER, Ernst. A necessidade da arte. Trad. Leandro Konder. 5 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.
GOMBRICH, Ernst Hans. A história da arte. Trad. Álvaro Cabral. 16 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2015.
GOMES, Marineide de Oliveira. Grupos de pesquisa/formação: potencializando o desenvolvimento profissional de educadoras de crianças pequenas. In: PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro; FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pesquisa em Educação: alternativas investigativas com objetos complexos. São Paulo: Loyola, 2006.
IAVELBERG, Rosa. O desenho cultivado da criança: prática e formação de educadores. 2 ed. Porto Alegre: Zouk, 2013.
IAVELBERG, Rosa. O desenho cultivado da criança. In: CAVALCANTI, Zélia. Arte na sala de aula. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.
KONDER, Leandro. Os marxistas e a arte: breve estudo histórico-crítico de algumas tendências da estética marxista. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.
LEITE, Maria Isabel; OSTETTO, Luciana Esmeralda. Formação de professores: o convite da arte. In: OSTETTO, Luciana Esmeralda; LEITE, Maria Isabel. Arte, infância e formação de professores: autoria e transgressão. 7 ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.
LONGAREZI, Andrea Maturano; SILVA, Jorge Luiz. Pesquisa-formação: um olhar para a sua constituição conceitual e política. Contrapontos. vol. 13, n. 3, p. 214-225, set./dez. 2013.
LUKÁCS. György. Introdução a uma estética marxista: sobre a categoria da particularidade. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
MARTINS, Mirian Celeste; PICOSQUE, Gisa; GUERRA, M. Terezinha Telles. Didática do ensino de arte: a língua do mundo, poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.
MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2008.
MELLO, Suely Amaral. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 83-104, jan./jun. 2007.
OLIVEIRA, Keyla Andrea S. Possibilidades da experiência estética na educação da infância: uma proposta com leituras de imagens. Curitiba: Appris, 2014.
OSTETTO, Luciana Esmeralda. Educação infantil e arte: sentidos e práticas possíveis. Caderno de Formação: formação de professores educação infantil princípios e fundamentos. Acervo digital Unesp, v. 3, p. 27-39, mar. 2011. Disponível em: Acesso em: 22 jan. 2017.
PEIXOTO, Maria Inês Hamann. Arte e grande público: a distância a ser extinta. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.
PERRELLI, Maria Aparecida de Souza. et.al. Percursos de um grupo de pesquisa-formação: tensões e (re)construções. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 94, n. 236, p. 275-298, jan./abr. 2013.
PILLAR, Analice Dutra. Leitura e Releitura. In: _____ (org.). A educação do olhar no ensino das artes. 8 ed. Porto Alegre: Mediação, 2014.
PINTO, Álvaro Vieira. O significado ideológico da pesquisa científica e a formação do pesquisador. In: _____. Ciência e existência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.
SILVA, Maria Cintra da. A constituição social do desenho da criança. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2002.
TSUHAKO, Yaeko Nakadakari. O desenho como expressão da criança. In COSTA, Sinara Almeida; MELLO, Suely Amaral (org.). Teoria Histórico-Cultural na Educação Infantil: conversando com professoras e professores. Curitiba: CRV, 2017.
VIGOTSKI, Lev S. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico livro para professores. Apresentação e comentários: Ana Luiza Smolka. Trad. Zoia Prestes. São Paulo: Ática, 2009.
VIGOTSKI, Lev S. Psicologia da arte. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes. 1999.
VIGOTSKI, Lev S. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Trad. Marcia Pileggi Vinha. Psicologia USP, São Paulo, v. 21, n. 4, p. 681-701, 2010.
VYGOTSKI, Lev S.; LURIA, Alexander R. El instrumento y el signo em el desarrollo del niño. Trad. Pablo del Río. Madrid: Fundación Infancia y Aprendizaje, 2007.

ZAPORÓZHETS, A. Importancia de los períodos iniciales de la vida em la formacion de la personalidade infantil. In: DAVIDOV, V; SHUARE, M. (org.) La psicologia evolutiva y pedagógica em la URSS. Moscou: Editorial Progresso, 1987.