O circo e a educação dos corpos-criança: possibilidades formativas com espaço para o pensar e o fazer divergente

Conteúdo do artigo principal

Aliandra Cristina Mesomo Lira
https://orcid.org/0000-0003-2945-464X
Gláucia Andreza Kronbauer
https://orcid.org/0000-0003-2338-7685

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir o potencial educativo dos corpos circenses e da linguagem artística a eles inerente, e sua contribuição na constituição de corpos-criança que têm direito de se movimentar, expressar seus desejos e desencantos, de questionar e fruir corporalmente a vida. Pautamo-nos no diálogo entre a literatura acadêmica e os relatos do projeto de extensão “Circo em Contexto”, por meio de pesquisa bibliográfica e análise documental de relatório do projeto. O projeto é desenvolvido na Universidade Estadual do Centro-Oeste, campus Irati, Paraná e oferece oficinas de práticas corporais circenses para crianças de 4 a 12 anos de idade. Os resultados indicam a experiência com as práticas corporais circenses como uma possibilidade de dar vida e lugar ao corpo-criança, sendo um espaço-tempo formativo que acolhe o pensar e o fazer divergentes ao privilegiar ações que acionam a imaginação, a criatividade e a coletividade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
LIRA, A. C. M.; KRONBAUER, G. A. O circo e a educação dos corpos-criança: possibilidades formativas com espaço para o pensar e o fazer divergente. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–21, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.17556.017. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/17556. Acesso em: 26 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO

Pós-doutorado em Educação na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Associada do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO, Guarapuava/PR.

Gláucia Andreza Kronbauer, Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO

Graduação em Educação Física, UNISC, RS, 2005. Mestrado em Ciências do Movimento Humano, UFRGS, RS, 2009. Doutorado em Educação, UEPG, PR, 2016. Docente do Departamento de Educação Física e do PPG Educação da UNICENTRO, PR. Pesquisadora do Grupo de Estudos em Educação, Cultura e Contemporaneidade e do HISTEDBR-Campos Gerais. Coordenadora do Circo em Contextos.

Referências

ALBANO, A. A. Agora eu era o herói: imaginação e expressão artística na primeira infância. Revista Digital do LAV, Santa Maria, v. 11, n. 2, p. 9-19, maio/ago. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5902/1983734833895. Acesso em: 06/01/21.

ARROYO, M. G. Corpos precarizados que interrogam nossa ética profissional. In: ARROYO, M. G.; SILVA, M. R. da (Org.). Corpo-infância: exercícios tensos de ser criança; por outras pedagogias dos corpos. Petrópolis: Vozes, 2012. p. 23-54.

ARROYO, M. G.; SILVA, M. R. da (Org.). Corpo-infância: exercícios tensos de ser criança; por outras pedagogias dos corpos. Petrópolis: Vozes, 2012.

BAKHTIN, M. Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. 8 ed. São Paulo: HUCITEC, 2013.

BOLOGNESI, M. F. O corpo como princípio. Trans/Form/Ação, São Paulo, 24, p. 101-112, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-31732001000100007. Acesso em: 08/12/20.

BOLOGNESI, M. F. Philip Astley e o Circo Moderno: romantismo, guerras e nacionalismo. O Percevejo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 1-13, 2009. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/opercevejoonline/article/view/496/422. Acesso em: 10/12/20.

BOLOGNESI, M. F. O Circo na história: a pluralidade circense e as revoluções francesa e soviética. Repertório – Teatro & Dança, Salvador, ano 13, n. 15, p. 11-16, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.9771/r.v0i15.5207. Acesso em: 19/01/21.

BORTOLETO, M. A. C. (Org). Introdução à Pedagogia das Atividades Circenses (Vol. 1). Jundiaí, SP: Fontoura, 2008.

BORTOLETO, M. A. C. (Org). Introdução à Pedagogia das Atividades Circenses (Vol. 2). Jundiaí, SP: Fontoura, 2010.

BORTOLETO, M. A. C., PINHEIRO, P. H. G. G; PRODOCIMO, E. Jogando com o circo. Jundiaí, SP: Fontoura, 2011.

BRASIL. Resolução CNE/CES Nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Diretrizes Nacionais para a Extensão na Educação Superior Brasileira. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 2010.

CUNHA, S. M da. Crianças fazendo arte: processos de criação artística e formação profissional docente para a Educação Infantil. Poiésis, Tubarão, v. 12, n. 21, p. 235-250, jan./jun. 2018. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/5923. Acesso em: 06/01/21.

CUNHA, S. R. V. da; CARVALHO, R. S. de. Sobre carrinhos, bagagens e viagens: diálogos entre artes plásticas, infância e pedagogia. CUNHA, S. R. V. da; CARVALHO, R. S. de (Orgs.). Arte contemporânea e educação infantil: crianças observando, descobrindo e criando. Porto Alegre: Mediação, 2020. p. 13-16.

FISCHER, E. A necessidade da arte. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.

GALLO, S. ‘O pequeno cidadão’: sobre a condução da infância em uma governamentalidade democrática. In: RESENDE, H. (Org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. p. 329-243.

HALL, S. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, jul./dez. 1997. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71361. Acesso em: 19/01/21.

HEROLD JR. C. Corpo no trabalho e corpo pelo trabalho: perspectivas no estudo da corporalidade e da educação no capitalismo contemporâneo. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 11-35, mar./jun. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1981-77462012000100002. Acesso em: 22/02/21.

KASPER, K. M. Experimentações Clownescas: os palhaços e a criação de possibilidades de vida. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2004.

KRONBAUER, G. A. O circo como conteúdo da Educação Física na Educação Básica. E-book. NEAD/UAB, UNICENTRO, 2018. Disponível em: https://0ed30f8e-b513-4805-a9b8-879b2c9c6256.filesusr.com/ugd/28c1c2_ef3d7f36c26d465aa4f420b51c3f2a51.pdf. Acesso em: 20/01/21.

KRONBAUER, G. A. Manifestações Corporais Expressivas e a Educação Física na escola. E-book. NEAD/UAB, UNICENTRO, 2019. Disponível em: https://0ed30f8e-b513-4805-a9b8-879b2c9c6256.filesusr.com/ugd/28c1c2_1100b39a8fac40ce9590498d723fc9d8.pdf. Acesso em: 19/01/21.

MARQUES, I. A. Dançando na Escola. São Paulo: Cortez, 2003.

MAUSS, M. As técnicas do corpo. In.: MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003. p. 401-424.

OSTETTO, L. E. O encontro de gerações, as questões e proposições sobre arte e pedagogia na contemporaneidade. In: CUNHA, S. R. V. da; CARVALHO, R. S. de (Orgs.). Arte contemporânea e educação infantil: crianças observando, descobrindo e criando. Porto Alegre: Mediação, 2020. p. 9-12.

PAREYSON, L. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

RICHTER, S. R. S.; SILVA, A. A. da; FARIA, A. L. G. de. A educação encontra a arte: apontamentos político-pedagógicos sobre direitos e pequena infância. Zero a Seis, Florianópolis, v. 19, n. 36, p. 235-251, jul./dez. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2017v19n36p235. Acesso em: 06/01/21.

RICHTER, S. R. S. Educação, arte e infância: tensões filosóficas em torno do fenômeno poético. Crítica Educativa, Sorocaba, v. 2, n. 2, p. 90-106, jul./dez. 2016. Disponível em: https://www.criticaeducativa.ufscar.br/index.php/criticaeducativa/article/view/99. Acesso em: 07/01/21.

SANTOS, A. C. R. F. dos; LIRA, A. C. M. Disciplinar e constranger: o corpo-criança e seu (não)lugar nas instituições educativas. Inter-Ação, Goiânia, v.45, n.3, p. 906-922, set./dez. 2020. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/64193. Acesso em: 17/01/21.

SANTOS, A. C. R. F. dos. Corporeidade infantil: quando o corpo-criança é transformado no corpo-aluno. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Centro-Oeste, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2020.

SILVA, E. As múltiplas linguagens na teatralidade circense: Benjamin de Oliveira e o circo-teatro no Brasil no final do século XIX e início do século XX. 2003. Tese (Doutorado em História). Departamento de História. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2003.

SOARES, C. L. Imagens da educação no corpo. Campinas: Autores Associados, 2002.

SOARES, C. L.; MADUREIRA, J. R. Educação Física, linguagem e arte: possibilidades de um diálogo poético do corpo. Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 75-88, 2005. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/2869. Acesso em: 22/02/21.

STRAZZACAPPA, M. A Educação e a fábrica de corpos: a dança na escola. Cad. Cedes, Campinas, ano XXI, n. 53, p. 69-83, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ccedes/v21n53/a05v2153.pdf. Acesso em: 19/01/21.

TORRES, A. O Circo no Brasil. Rio de Janeiro: FUNARTE; São Paulo: Atração Produções Ltda, 1998.

TREVIZAN, M.; CHAGAS, P. I.; KRONBAUER, G. A. Circo em Contextos – diálogos entre a cultura e a extensão universitária. Revista Conexão UEPG, Ponta Grossa, v. 14, n. 1, p. 130-139, 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/5141/514161159017/html/index.html. Acesso em: 22/02/21.

UNICENTRO. Circo em Contextos (2019-2021). Relatório Final de Projeto de Extensão. Departamento de Educação Física, Setor de Ciências da Saúde, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Unidade Universitária de Irati. UNICENTRO, 2021.

VEIGA-NETO, A. Cultura, culturas e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 23, maio/jun./jul./ago. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n23/n23a01.pdf. Acesso em: 19/01/21.