Da educação 1.0 à educação 3.0: desafios para a prática docente no Século XXI

Conteúdo do artigo principal

Adriana Alves Novais Souza
https://orcid.org/0000-0002-8889-8809
Henrique Nou Schneider
https://orcid.org/0000-0003-2354-576X

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as percepções de estudantes da graduação acerca do uso de plataformas online como ambiente colaborativo de aprendizagem e sua relevância para os processos formativos em moldes da Educação 3.0. Trata-se de um recorte de uma dissertação de mestrado em Educação na área de tecnologia e educação, que teve como prática de pesquisa o uso de redes sociais como ambiente de aprendizagem, desenvolvida na disciplina Português Instrumental, do curso de graduação em Letras Vernáculas de uma universidade federal. A pesquisa, de abordagem qualitativa, teve por sujeitos os dezessete estudantes da disciplina e foi realizada através do método da Pesquisa-formação, utilizando como instrumentos de coleta de dados a observação participante, o questionário e a entrevista semiestruturada, esta última realizada apenas com os alunos licenciandos da turma. Os dados evidenciaram a necessidade de se refletir sobre as práticas necessárias à docência na atualidade, destacando, com base nos depoimentos dos participantes, a ausência na formação inicial de atividades e práticas mais dinâmicas, em que haja uso efetivo das tecnologias, o que culmina em insegurança em relação aos desafios futuros. Se o estudante está em processo de formação, independentemente dos destinos profissionais escolhidos, é preciso atrelar o ensino às práticas que se fazem na sociedade informatizada e interconectada em que vivemos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SOUZA, A. A. N.; SCHNEIDER, H. N. . Da educação 1.0 à educação 3.0: desafios para a prática docente no Século XXI. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–20, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.17555.014. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/17555. Acesso em: 26 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Adriana Alves Novais Souza, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Doutoranda em Educação na Universidade Federal de Sergipe. Professora da Secretaria de Educação de Sergipe.

Henrique Nou Schneider, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor da Universidade Federal de Sergipe e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe.

Referências

ALLAN, L. M. Educação 3.0: estamos prontos? Editora Abril: Educar para crescer. Publicação on-line,s/p., 08 ago. 2012. Disponível em: https://www.pautaonline.com.br/blog/educacao-30-estamos-prontos/93. Acesso em: 02 mar 2014.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

FAVA, R. Educação 3.0: como ensinar estudantes com culturas tão diferentes. 2ª Ed. Cuiabá: Carlini e Caniato Editorial, 2011.

GALLANA, L. M. R. Facebook: um espaço de colaboração para a troca de experiências com uso de tecnologias em sala de aula. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2013. Disponível em:

http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/250857. Acesso em: 13 mar 2014.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2006.

LENGEL, J. Educação 3.0. Estadão, on-line, 07 nov. 2012. Caderno Educação. Disponível em: http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,artigo-educacao-30,956582. Acesso em 14 jul. 2014.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 2011.

LONGAREZI, A. M.; SILVA, J. L. Pesquisa-formação: Um olhar para sua constituição conceitual e política. Revista Contrapontos, v. 13, n. 3, p. 214-225, set./dez., 2013. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/4390. Acesso em: 20 fev. 2015.

LONGAREZI, A. M.; SILVA, J. L. Interface entre pesquisa e formação de professores: delimitando o conceito de pesquisa-formação. In: VIII Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, 2008, Curitiba. Anais [...] Curitiba, Paraná, 2008. Disponível em: https://educere.pucpr.br/p8/anais.html. Acesso em: 13 dez 2014.

NÓVOA, A. Prefácio. In: JOSSO, M.C. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez Editora, 2004. Página 7-12.

NUNES, J. B. C.; NUNES, A. I. B. L. Formação De professores na era de tecnologias digitais: desafios para a educação neste milênio. In: SCHNEIDER, H. N.; LACKS, S. (org.). Educação no século XXI: desafios e perspectivas. São Cristóvão: Editora UFS, 2012. Página 117- 144.

PALLOFF, R. M.; PRATT, K. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes on-line. Trad. Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2004.

PRENSKY, M.: Digital Natives Digital Immigrants. In: PRENSKY, Marc. On the Horizon. NCB University Press, v.9, n.5, oct., 2001. Disponível em: http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em 13 dez 2014.

SANTAELLA, L. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOS, I. P.; BLÁZQUEZ, F. Incorporação das novas tecnologias no ensino superior. Goiânia: R&F, 2005.

SOUZA, A. A. N. O Facebook como ambiente de aprendizagem: uma análise da praxis presencial mediada pelo conectivismo pedagógico. 2015. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.

STAHL, M. M. Formação de professores para uso das novas tecnologias de comunicação e informação. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Magistério: construção cotidiana. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997, p. 292-317.

TAPSCOTT, D. A hora da geração digital: como os jovens que cresceram usando a internet estão mudando tudo, das empresas ao governo. Trad. Marcello Lino. Rio de Janeiro: Agir negócios, 2010.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.